Inicio outros A Xiaomi não faz um tostão com telemóveis (e isso não os...

A Xiaomi não faz um tostão com telemóveis (e isso não os preocupa) 

As declarações são do próprio Vice Presidente Global, Hugo Barra, à Reuters.

A entrevista surge num momento em que a Xiaomi viu as suas vendas de smartphones na China severamente atingidas, com perdas de 45%. Entretanto, os principais concorrentes, como Huawei e Oppo, ganham distância e comem-lhe a fatia de mercado.

No entanto, para Hugo Barra, esse não é um factor que vá afectar a Xiaomi, simplesmente porque a rentabilidade dos smartphones não faz parte do seu modelo de negócio.

As suas declarações são peremptórias:

“Estamos fundamentalmente a dar smartphones sem fazer qualquer dinheiro… Estamos focados nos fluxos de rendimentos ao longo de vários anos”.

Mas especificamente, a Xiaomi poderia “vender milhões de terminais e não estaria a fazer um cêntimo de lucro”.

A marca Chinesa tem-se focado crescentemente nos seus produtos domésticos e inteligentes, incluindo aspiradores, por exemplo. O modelo de negócios seria portanto mais virado para serviços a longo prazo e ecossistemas, não dependendo dos Smartphones.

As palavras de Barra devem no entanto ser entendidas à luz dos recentes recuos das vendas da marca, lançando especulações de que a marca poderá em breve sofrer falta de fundos. Barra nega tal possibilidade.

No entanto, a mera ideia de vender bens de consumo sem lucro pode despertar a hostilidade de concorrentes que se sintam alvo de concorrência desleal. Esta aposta em não fazer lucro explica parcialmente como a Xiaomi consegue criar material flagship a preços generosos por comparação à concorrência.

No entanto será uma estratégia arriscada, pois implica a obrigatoriedade dos restantes vectores de negócio terem lucro e sucesso. Caso a estratégia falhe, a divisão de smartphones poderá ver-se rapidamente sem sustentabilidade.

Mas com planos de expansão para diversos mercados, incluindo o Americano, é possível que a Xiaomi mantenha esta abordagem até conseguir uma fatia de mercado apreciável, após o que não seria de todo surpreendente se os preços escalassem. Os tais vectores de negócios são, afinal, essencialmente destinados ao mercado Chinês.

Em ambas as hipóteses, a Xiaomi tal como a conhecemos, pode mudar profundamente.

Que pensam os nossos leitores? Será o fim dos Xiaomi baratos?

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Subscreva a newsletter Leak e tenha acesso diário aos principais destaques, ofertas e descontos nos parceiros Leak. Clique aqui

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

One Punch Man: a Season 3 vai ser a melhor de sempre!

A Season 3 do One Punch Man é sem dúvida algo muito esperado. E, de facto, a espera já vai longa. Sobretudo, desde o...

Já comprou a PS5? Estes são os melhores jogos por enquanto!

As consolas de nova geração chegaram finalmente ao mercado, e claro, o mundo dos jogos parou para as receber. Contudo, parece que não está...

Compradores preferem entregas ecológicas segundo inquérito da Ford

O mercado automóvel está em constante evolução, isto não é novidade para ninguém. Aliás, é notório que as tendências mudaram imenso e o objetivo...

Volkswagen vai lançar carros 100% elétricos mais baratos

Volkswagen vai lançar carros 100% elétricos mais baratos! - A grande evolução da Volkswagen no mundo dos automóveis 100% elétricos deve-se imenso ao investimento...

Quais são as desvantagens do SSD em relação a um disco rígido?

Quais são as desvantagens do SSD em relação a um disco rígido? - Os SSDs são cada vez mais a resposta para qualquer necessidade...