Xiaomi bate Apple, Huawei e Samsung nos wearables

Os dados mais recentes divulgados pela IDC indicam que os envios globais de wearables atingiram os 32 milhões de unidades no terceiro trimestre de 2018.

Na prática isto é um aumento de 21,7% em relação ao ano anterior.

Os dados revelam que o aumento astronómico nos envios em relação ao mesmo período do ano anterior deve-se a um aumento de wearables que foram lançados durante o trimestre.

Assim e mais concretamente, novos produtos de empresas como a Fitbit, Garmin e Huawei ajudaram ao crescimento da categoria de wearables. 

Os wearables estão a crescer a um grande ritmo

Os dados também revelam que a procura crescente em mercados como a Ásia-Pacífico (excluindo o Japão) foi outro fator determinante e isso representou mais de metade de todos os envios para distribuição. O crescimento nesses mercados foi 21,4% maior do que no ano anterior, segundo a IDC.

No terceiro trimestre, a Xiaomi conquistou a primeira posição, graças ao sucesso da Mi Band 3 e à sua significativa expansão para além do seu país de origem, a China.

Embora a China, em geral, seja responsável por mais de 80% do volume de remessas da Xiaomi, neste trimestre caiu para 61%, à medida que a empresa conseguiu aumentar a sua presença em outros mercados, como Índia, Europa, Médio Oriente e África.

A Apple surge em segundo lugar

Logo a seguir surge a Apple que conseguiu lançar a nova gama dos Apple Watch, o primeiro “relógio” aprovado para utilização médica, no final do trimestre.

Apple watchOS 4

O novo design e dimensão, juntamente com a versão mais recente do Watch OS, foram bem-vindos, embora a última série tenha representado menos de 20% de todos os envios para distribuição.

Importa salientar que o preço reduzido da Série 3 foi responsável pela maioria das remessas da Apple durante o trimestre.

Fitbit voltou a subir no mercado

No terceiro lugar surge a Fitbit. Os dispositivos mais recentes, incluindo o Versa, o Charge 3 e o Ace, ajudaram a empresa a desacelerar a sua queda em relação aos trimestres anteriores.

O sucesso do Versa levou a empresa a voltar a uma boa posição no mercado de fornecedores de smartwatches. A IDC espera que isto se mantenha a curto prazo. Ou seja, boas notícias para este fabricante.

Huawei ocupa agora a quarta posição seguida de perto pela Samsung

Outro facto importante é que a Huawei ultrapassou a Samsung para manter a quarta posição mundial. No entanto, a maioria dos dispositivos portáteis da empresa foi vendida na China.

Por outro lado, a sub-marca Honor apresentou um novo conjunto de auscultadores que acompanham a frequência cardíaca durante os treinos.

O quinto lugar é ocupado pela Samsung, que ultrapassou outros concorrentes. O arsenal de produtos da Samsung depende das pulseiras Gear S3 e Fear Fit para impulsionar os volumes de vendas.

Entretanto, esta empresa também lançou o seu smartwatch de última geração, o Galaxy Watch. Assim, esta foi a primeira vez que um dispositivo wearable deste fabricante se distanciou do tradicional nome “Gear”… Para a sub-marca “Galaxy”.

O que acham desta classificação? Será que o mercado de wearables vai continuar a crescer? Só o tempo o dirá.