Windows 10 era o último Windows. O que aconteceu?

Quando o Windows 10 foi originalmente anunciado, e posteriormente lançado, em 2015, a Microsoft afirmou que este Sistema Operativo seria a derradeira versão do seu histórico SO, implementando uma mudança de estratégia muito importante no mercado. O Windows iria ser vendido como um serviço, e não como um “pacote de software”. Seria o fim da linhagem Windows da era moderna! (95, 98, Millenium, XP, 7, 8, 8.1, 10)

Ou seja, o Windows 10 seria sempre o Windows 10, mas seria atualizado, ao longo dos anos, tanto a nível de funcionalidades, como de visual, não existindo uma nova versão ‘per se’, o SO Seria sempre o mesmo, com pacotes de atualização um pouco por todo o lado.

Mas por alguma razão (talvez várias), a Microsoft decidiu voltar atrás, e anunciar o Windows 11. Muito curiosamente, depois de ter cancelado o desenvolvimento do Windows 10X. Pois bem… Afinal, o que aconteceu?

Windows 10 era, supostamente, o último Windows. O que aconteceu?

windows 10 era

Portanto, muito resumidamente… A Microsoft decidiu mudar de ideias! Porquê? Bem, é impossível saber as razões reais, mas podemos olhar para o Windows 11 e tirar algumas conclusões, com o que já sabemos até agora.

Antes de mais nada, é um dado adquirido que o Windows 11 não é nada mais, nada menos, que uma pequena atualização face ao ‘velhinho’ Windows 10. A grande diferença está nos requisitos mínimos para a instalação do Sistema Operativo, o que por sua vez, e de forma bastante curiosa, elimina várias máquinas que hoje em dia utilizam o W10 sem qualquer problema. Isto é curioso, porque a nível do SO propriamente dito, não há nada que limite o software nas máquinas mais antigas, as drivers são exatamente as mesmas, as aplicações também não precisam de grande adaptação, etc… Aliás, o próprio Windows 11 é mais eficiente no uso dos recursos computacionais, por isso, é bem provável que fosse mais rápido que o Windows 10, nas máquinas mais antigas.

Isto significa o quê?

Parece que a Microsoft quer obrigar os utilizadores a fazer um upgrade às suas máquinas. De forma a conseguir andar com o mundo da computação para a frente. Para uma nova era! Mais segura, mais rápida e mais fluída.

Em suma, o Windows 11 não é uma versão completamente nova, é um Windows 10 mais eficiente, mais rápido, mais poderoso, e na verdade, mais bonito (ou pelo menos mais moderno ao olhar).

Uma estratégia muito interessante, porque o Windows precisa de ter suporte às potencialidades do novo hardware. E desta forma, a Microsoft lança o W11 para as máquinas mais recentes, enquanto mantém o W10 para as mais antigas. Será um sucesso? ainda é muito cedo para perceber.

Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Concorda com a estratégia da Microsoft? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

 

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, tive o meu primeiro PC aos 10 anos e aos 15 anos montei a minha primeira torre, desde aí nunca mais parei. Tudo o que seja tecnologia, estou na fila da frente para saber mais.

Mais deste autor

Relacionadas

Publicidadespot_img

Últimos artigos

Google: se receber este aviso no Gmail pode ficar sem conta!

É muito raro conseguirmos encontrar uma pessoa que não utiliza produtos Google como o Gmail e o Google Fotos, ou que não tem uma...

iPhone 13 com 120Hz? Sim! Utilidade? É zero!

Uma das maiores, e na verdade, mais desejadas novidades no mundo iPhone, é sem grandes dúvidas a introdução do ecrã OLED ProMotion capaz de...

Compras de Natal? O melhor é começar já a despachar a lista!

Desde o fim do ano de 2020, que temos levado com uma gigantesca (e sem precedentes) crise de produção de componentes essenciais, como são...

Não perca nenhuma informação de última hora!

Registe-ne na Newsletter Leak e receba diariamente todas as informações no seu email!