Vale a pena pagar mais de 1000 Euros pelo Huawei Mate 20 Pro?

Mate 20 Pro

Caminhamos a passos largos para 16 de Outubro, a data de oficialização do Huawei Mate 20 Pro, um equipamento que pode custar mais de 1000 Euros em todo o mundo, inclusive Portugal. Vale a pena?

Mas quais as razões que levam a este preço elevado?

Quando falamos na linha Mate falamos sempre de equipamentos de topo com tecnologias inovadoras. De facto, marcam a estreia de algumas tecnologias e especialmente chipsets que depois chegam a outras linhas da marca.

A aposta deste ano concentra-se em quatro coisas essenciais:

  • O novo chipset da Huawei
  • As novas câmaras com tecnologias inovadoras
  • Sensor de impressões digitais no ecrã
  • Uma bateria ainda mais potente com uma nova tecnologia de carregamento.

Kirin 980: O novo chipset da Huawei que dá vida ao Mate 20 Pro

O Kirin 980 é o primeiro processador baseado no processo de fabrico de 7nm! Existem mais de 6.9 mil milhões de transistores por centímetro quadrado, o que é sem qualquer dúvida um feito impressionante! Neste pequeno chipset existe um novo CPU, GPU e ainda uma NPU melhorada, entre outros componentes.

Em suma, o Kirin 980 é muito mais poderoso e eficiente do que a geração passada da Huawei.

Ao nível do desmpenho, o novo Kirin 980 conta com os mais recentes núcleos de alta performance da ARM, os Cortex-A76! Em paralelo, também conta com 4 núcleos Cortex-A55 de baixo consumo energético, para tarefas menos pesadas. Visto que o ‘velhinho’ Kirin 970 conta com núcleos de alta performance Cortex-A73, este é o primeiro processador da Huawei capaz de utilizar a tecnologia ‘DynamIQ’ da ARM! Assim consegue utilizar todos os 8 núcleos num potentíssimo cluster.

Escusado será dizer que com tudo isto o novo Mate 20 terá um excelente desempenho!

É preciso também mencionar que o Kirin 980 conta com o novo GPU topo de gama da ARM. O Mali-G76, que deverá contar com um aumento de performance na ordem dos 46%, bem como uns impressionantes 178% de aumento na eficiência energética.

As câmaras: embora triplas têm uma configuração diferente da que encontramos no Huawei P20 Pro

A configuração de câmara tripla supostamente vai abrir mão da objetiva telefoto que estava presente na configuração do Huawei P20. Ao invés disto teremos uma lente ultra grande-angular. Lembramos que a configuração do P20 Pro tem uma lente telefoto de 8 megapixéis, outra RGB de 40 e outra monocromática de 20.

A câmara terá uma capacidade inteligente de Zoom apoiada por inteligência artificial. Não é a primeira vez que ouvimos falar disto, até porque já tinha havido uma fuga de informação neste sentido.

Ao nível das câmaras na parte frontal, haverá um sensor principal de 24 megapixéis no Mate 20 Pro. Destaca-se ainda o reconhecimento facial 3D (que deverá funcionar em meio segundo). Para além disso teremos ainda um sensor de impressões digitais no ecrã.

Ao nível das câmaras queremos dizer ainda que os utilizadores vão poder capturar vídeo com um efeito bokeh artificial que também pode ser utilizado nas fotografias.

Bateria: Alto-desempenho com uma nova tecnologia de carregamento

A bateria de 4,200mAh vai carregar 70% em apenas 30 minutos, graças ao SuperCharge 2.0. Isto é uma melhoria de 20% comparativamente ao Mate 10. Destaca-se também a existência de um carregador sem fios de 15W no Mate 20 e Mate 20 Pro.

Vale a pena?

Ou seja, olhando para tudo o que revelámos nas linhas anteriores, é fácil perceberemos que o Mate 20 Pro será eventualmente um dos equipamentos mais inovadores de sempre. Não é que o Mate 10 Pro não o tenha sido com a introdução da inteligência artificial aplicada à câmara e não só.

No entanto, olhando para o bolo todo, percebemos que este tem ainda mais motivos para brilhar e como tal justificar um investimento na ordem dos 1000 Euros.

A versão mais cara terá 8GB de RAM e uma capacidade de armazenamento de 512GB, o que é sem dúvida fantástico.