TSMC não irá conseguir atingir o limite de produção dos seus 7nm

Aparentemente, a TSMC não irá ser capaz de atingir a produção máxima das suas linhas de 7nm em 2019! Quem o diz é a DigiTimes, citando uma fonte oriunda da China.

Isto depois, da empresa ter anunciado que esperava cerca de 20% das receitas da empresa em 2019, viesse deste novo processo (Estimativa que deverá ser revista nos próximos meses)! Parece que a procura por parte dos fabricantes de chips para smartphones baixou consideravelmente, deixando assim as fábricas da TSMC a ‘meio gás’.

Isto é tudo graças aos cortes nas encomendas da Apple, HiSilicon (Huawei) e Qualcomm! Por isso, as dúvidas que assolavam o mercado, de que a TSMC seria a única fabricante capaz de fabricar com o processo de 7nm, e que não seria capaz de dar vazão a toda a procura… Acabaram de desaparecer.

TSMC não

Afinal de contas, o facto de que o mercado de smartphones está a chegar a um nível de saturação bastante elevado, não é grande novidade!

No fundo, é cada vez mais difícil implementar novas tecnologias ano após ano… E por isso, é também muito mais complicado convencer os consumidores a gastar o seu dinheiro ano após ano.

Dito isto, não quer dizer que os empregados da TSMC fiquem agora a mastigar partilhas elástica, e a olhar para o teto das fábricas da empresa… A diferença de produção não é assim tão significativa, visto que a empresa irá continuar a utilizar cerca de 80-90% da capacidade de produção das suas linhas de 7nm, nos primeiros 6 meses de 2019.


A TSMC é cada vez mais uma séria ameaça ao domínio da Intel!

A Intel sempre foi um supra-sumo na produção de processadores e na miniaturização dos seus transistores… No entanto, parece que de forma bem silenciosa, já foi ultrapassada pela TSMC!

Afinal de contas, enquanto que a Intel se encontra em dificuldades na passagem para os 10nm. A TSMC está a fechar cada vez mais contratos! E assim a ganhar cada vez mais importância no mercado de micro-processadores.

Isto, enquanto as linhas de produção da Intel têm muito que trabalhar para voltar a apanhar ou ultrapassar a concorrência:

Clique aqui para ler mais.

Não percas nenhuma novidade. Segue-nos no Instagram, no Facebook e no Twitter!