Tratamento para o cancro? O segredo pode estar no smartphone


Por em

Ainda não se sabe ao certo, se a exposição a longo prazo à radiação emitida por dispositivos móveis pode promover, ou não, o aparecimento de determinados tipos de cancro. No entanto um material que é cada vez mais utilizado na maioria dos gadgets que utilizamos no dia-a-dia parece ter o poder de tratá-lo. O material é o grafeno, em que os átomos de carbono se organizam numa única camada incrivelmente fina – e já está está a ser utilizado em praticamente tudo, desde baterias de smartphones a ecrãs flexíveis.

Tratamento para o cancro

Um novo estudo no tratamento do cancro

Num novo estudo publicado na Science Advances, uma equipe de cientistas explica como descobriram que o grafeno pode ser utilizado para estimular as células vivas. Mais especificamente, esta técnica poderia ser utilizada para explorar as fraquezas das células cancerígenas e matá-las sem prejudicar as células saudáveis mais próximas.

Como o site IEEE Spectrum relata, a descoberta foi o resultado de uma experiência conduzida pelo biofísico Alex Savchenko, da Universidade da Califórnia em San Diego, e restantes colegas. Sabendo que o grafeno tem a capacidade única de converter luz em eletricidade, a equipa decidiu verificar se essa carga elétrica poderia ou não estimular as células humanas vivas. Depois de tentar algumas combinações diferentes de luz e tipos de grafeno, alcançaram o resultado que procuravam.

“Eu estava a olhar para o ecrã do computador ligado ao microscópio e estava a regular a intensidade de luz quando comecei a ver as células começarem a mexer-se mais rápido”, explica Savchenko. “Mostrei isso aos nossos alunos e eles ficaram muito entusiasmados. Nunca tinhamos verificado essa possibilidade de controlar a contração celular.

Fonte da Imagem: Nanotools Bioscience

A descoberta tem uma série de aplicações potenciais – desde tratamentos com células-estaminais até analgésicos personalizados que visam apenas os nervos causadores de dor. No entanto um dos mais interessantes é a possibilidade de criação de um sistema de combate ao cancro totalmente baseado em eletricidade.

Como o IEEE Spectrum explica, as células cancerígenas tendem a ter um limiar mais baixo de estimulação elétrica do que as células saudáveis. Ao espalhar partículas de grafeno na área do corpo afetada pelo cancro, os médicos poderiam utilizar a luz para estimular apenas as células cancerígenas. A membrana das células cancerígenas seria forçada a abrir-se, permitindo o fluxo de iões carregados positivamente para dentro da célula, acabando por dominá-la e matá-la.

No momento, isto é inteiramente teórico. Ainda assim, os investigadores já provaram que a base para um possível tratamento realmente funciona. Agora resta-nos aguardar por mais desenvolvimentos.

Mais informações podem ser encontradas aqui.

Leia também

Ou veja mais notícias de Especiais, Fora da Caixa

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Etiquetas
Anterior

NVIDIA lançou uma nova GTX 1050 com 3GB de memória

Apple prepara HomePod da Beats por 199 dólares

Seguinte