Um novo tratamento desenvolvido pela Universidade de Tel Aviv pode induzir a destruição das células cancerígenas do pâncreas, erradicando o número de células malignas em até 90% após duas semanas de injeções diárias com uma pequena molécula conhecida como PJ34. Podemos estar a um pequeno passo para tratar eficazmente o cancro do pâncreas.

Tratamento do cancro do pâncreas pode chegar em dois anos

O cancro do pâncreas é um dos cancros mais difíceis de tratar. A maioria das pessoas diagnosticadas com a doença nem sequer vive cinco anos após o diagnóstico.

O estudo, liderado pela Prof. Malka Cohen-Armon e pela sua equipa na Faculdade de Medicina Sackler da TAU, em colaboração com a equipe da Dra. Talia Golan no Centro de Pesquisa de Cancro no Sheba Medical Center, foi recentemente publicado na revista Oncotarget.

cancro do pâncreas

Mais especificamente, o estudo descobriu que o PJ34, quando injetado por via intravenosa, causa a autodestruição de células cancerígenas humanas durante a mitose, o termo científico para divisão celular.

O estudo foi realizado com xenoenxertos, o transplante de cancro do pâncreas humano para ratos de laboratório imunocomprometidos. Um mês após a injeção diária da molécula por 14 dias, “houve uma redução de 90% das células pancreáticas no tumor”, afirmou Cohen-Armon ao jornal The Jerusalem Post. “Num rato, o tumor desapareceu completamente.”

“Esta molécula causa uma anomalia durante a mitose de células cancerígenas humanas, provocando uma rápida morte celular”. “Assim, a multiplicação celular em si resultou na morte celular nas células cancerígenas tratadas”.

Além disso, o PJ34 parece não ter impacto nas células saudáveis, portanto “não foi observado nenhum efeito adverso”. Os ratos, entretanto, continuaram a crescer e a ganhar peso como de costume.

Este mecanismo, segundo esta investigadora, foi publicado pela primeira vez em 2017 quando foi usado para tratar com eficácia cancro da mama.

Embora a equipa não tenha estudado especificamente se o tratamento poderia prolongar ou não a vida útil de um paciente, pode-se presumir que será a conclusão lógicas se as células cancerígenas forem eliminadas.

Quanto tempo levará para passar de testes com ratos para testes em humanos?

Isto levará pelo  menos dois anos, caso exista financiamento suficiente.

Assim, o grupo vai testar o tratamento em porcos. No entanto, depois vai pedir permissão à FDA para administrar esta molécula em humanos.

Fonte

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.