Ah, intervalo... Tempo de ler emails e compor!

Cada vez mais, os smartphones se tornam uma fundamental peça de trabalho, e poderão mesmo tornar-se o “computador” principal de muitos trabalhadores, principalmente aqueles que, como o autor, têm de conciliar horários e compromissos.

Podem não se aperceber, mas a maioria dos artigos colocados por mim Leak foram elaborados e validados a partir de um Huawei P9 Plus. A rotatividade de telemóveis deste lado é relativamente elevada, como podem imaginar, mas há simplesmente alguns dispositivos que nos facilitam a vida. Se o seu smartphone é, acima de tudo, um instrumento de trabalho, eis a nossa defesa do Huawei P9 Plus como opção para trabalho sério.

O Huawei P9 Plus e o trabalho em mobilidade

Ah, intervalo... Tempo de ler emails e compor!
Ah, intervalo… Tempo de ler emails e compor!

Não me considero um workaholic, mas talvez o seja. Os artigos para a Leak nascem a partir das seis da manhã, todos os dias, e elaboram-se a caminho do trabalho no autocarro, durante o café da manhã, ao almoço, e em todo o ciclo de regresso a casa.

Não sou o único a ter este tipo de necessidades de trabalho fora do escritório, e neste caso é essencial um telemóvel capaz de resistir a elevado uso, que tenha cavalagem para aguentar a carga e não nos ponha a abraçar paredes constantemente.

Então, o Huawei P9 Plus tem sido bastante constante na minha vida profissional. Não direi ser o melhor smartphone para trabalho intenso, mas tem diversas características que me facilitam a vida. Vamos a elas?

  1. Ecrã de 5.5 polegadas: o Huawei P9 Plus não será o melhor dispositivo para colocar no bolso ou escrever apenas com uma mão, mas as dimensões generosas do ecrã são uma bênção para os olhos e ajudam a melhor editar documentos, enquanto a sua luminosidade é bastante para trabalho à luz do dia. Sim, podemos trabalhar num ecrã mais pequeno, mas pode tornar-se cansativo e, para quem tecla com dois dedos, os ecrãs mais pequenos podem ser um campo minado de dedos aos encontrões. Por isso, nada abaixo de 5.2 polegadas e 5.5 polegadas, preferencialmente com tendência para esta última opção.
  2. Bateria de 3400mAh: a bateria do P9 Plus fica aquém da durabilidade da do Mate 8, mas aguenta-se melhor que a de dispositivos como o Sony Xperia X ou o fantástico LG V10. Por isso, mesmo com a carga do 3G ou 4G, as apps abertas, um smartwatch emparelhado, e música a tocar, o Huawei P9 Plus aguenta-se bem o dia todo sem ter de ir à carga. A margem de erro não é nada de brilhante; um exagero e temos de lhe dar sumo, mas o comportamento é bastante interessante e, com o modo de poupança de bateria da Huawei podemos sempre estender a bateria mais um pouco quando não precisamos mesmo de estar com o Plus activo. Em média, chego a casa com 40% de carga, o dobro do que deu o Xperia X, ou o Mate S.
  3. Ergonomia: se vamos passar muitas horas com um smartphone nas mãos, mais vale que seja ergonómico. Quem tecla apenas com uma mão geralmente não gosta de ecrãs grandes, mas não sei se com uma mão é o método certo para escrever documentos importantes. Com as duas mãos, o P9 Plus é confortável e razoavelmente leve. Não tem arestas abruptas e a espessura é bastante interessante. O mais recente Alcatel Idol 4S tem-lhe alguma vantagem em espessura e leveza, mas ainda veremos se equivale em conforto. O bisel nos rebordos é muito mais que estética, mas também funcionalidade.
  4. Processador: No HiSilicon Kirin 955 com 4GB de RAM, o Huawei P9 Plus tem processamento que chegue para manter várias apps abertas sem o processador ser muito solicitado, portanto poupando bateria, e evitando aquecimento expressivo. O Plus raramente tem problemas de falta de memória ou lentidão, e quem precisa de um toque com reacção imediata não ficará mal servido.
  5. Teclas Press Touch: as teclas virtuais por toque de pressão continuam a ser das melhores ideias em 2016 para rápido acesso a apps mais utilizadas e poupança de espaço de ecrã. Seria muito interessante ver outras marcas a seguirem este exemplo.

    O Press Touch é característica única do Huawei P9 Plus no mercado nacional.
    O Press Touch é característica única do Huawei P9 Plus no mercado nacional.
  6. Durabilidade: um telemóvel cai. Um telemóvel embate em esquinas e noutros telemóveis, e inevitavelmente sofre danos. Quem recorre ao telemóvel para trabalhar, está inevitavelmente a manuseá-lo frequentemente e propicia acidentes. É certo que faço bastante trabalho no Lumia 830, mas se o dispositivo cai, o mais certo é saltar-lhe a tampa e a bateria, levando consigo os saves mais recentes. Há um grande conforto na construção do Huawei P9 e P9 Plus: as laterais de aço serão difíceis de danificar. Com a capa protectora estamos francamente confiantes na robustez do dispositivo. E mesmo sem esta.

Conclusão

E depois há o factor prestígio. O Huawei P9 Plus é o tipo de smartphone que fica bem num executivo, mas essa é outra história.

Se hoje em dia um smartphone é fundamental para a maioria das pessoas, para trabalho pede-se algo mais além da capacidade em jogos ou potência. O Huawei P9 Plus reúne potência, com durabilidade e autonomia, além de excelente facilidade de utilização.

Não é o smartphone empresarial por excelência, mas possui um equilíbrio de capacidades que o tornam adaptável à esmagadora maioria das situações, do lazer ao trabalho mais empenhado, e isso são predicados ao alcance de poucos.

As alternativas

  • Huawei Mate 8: o Mate 8 é o dispositivo de eleição para quem necessita de autonomia praticamente ilimitada para os padrões actuais. A bateria de 4000mAh, aliada a um ecrã de 6 polegadas, faz do Mate 8 um smartphone empresarial muito capaz.
  • Samsung Galaxy Note 5: potente, com um excepcional ecrã, o Note 5 soma pontos pela sua stylus. Será o instrumento ideal para complementar um interface? Existe quem pense que sim, e o Note 5 é um smartphone altamente apetecível para profissionais. A sua bateria de 3000mAh poderá ser limitada, considerando a potência de ecrã e processador.
  • LG V10: Eis um dispositivo cheio de potencial para profissionais, graças ao ecrã secundário, que em muito facilita a navegação entre apps, e uma construção robusta. Tal como no caso anterior, no entanto, a bateria de 3000mAh não é totalmente ideal
Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.