Titan podia estar a utilizar fibra de carbono com problemas!

Novos indícios preocupantes continuam a surgir acerca do submersível da OceanGate, que implodiu catastroficamente e matou os cinco passageiros a caminho dos destroços do Titanic na semana passada. Ou seja, não estava mesmo apto para a viagem. Agora foi descoberto que na construção do submersível Titan pode-se ter utilizado fibra de carbono com problemas.

Titan podia estar a utilizar fibra de carbono com problemas!

Isto é uma informação revelada recentemente. Tudo porque Arnie Weissman, editor-chefe da Travel Weekly, concordou inicialmente em juntar-se à expedição de junho, relata o Washington Post. No entanto desistiu à última hora devido a um conflito de agenda. Um mergulho que deveria ter feito em maio também foi cancelado devido ao mau tempo. Entretanto uma conversa que teve com o diretor executivo da OceanGate, Stockton Rush, na noite anterior à expedição, ainda o persegue até hoje.

Titan fibra de carbono

Segundo Weissman, Rush tinha comprado a fibra de carbono utilizada para fabricar o Titan. Isto “com um grande desconto à Boeing”. Tudo porque “já tinha passado o prazo de validade para ser utilizada em aviões”.

Por outras palavras, Rush sabia que a fibra de carbono – que é uma péssima escolha de material para uma embarcação de águas profundas, como muitos especialistas têm apontado – já tinha potencialmente falhas que podem ter desempenhado um papel na trágica morte do Titan.

Titan fibra de carbono

É mais um indício de que Rush e a OceanGate fizeram um trabalho de contornos alarmantes no desenvolvimento do submarino

De facto, há anos que os especialistas os avisavam de que construir uma embarcação deste tipo, ignorando todos os esforços para que fosse qualificada e testada por especialistas e reguladores, era uma péssima ideia.

Mesmo depois da sua morte as más decisões do diretor executivo e as rejeições de dar prioridade à segurança começam a ser reveladas.

“Respondi imediatamente, dizendo: ‘Não tem nenhuma preocupação sobre isso? disse Weissman ao WaPo, recordando a sua conversa sobre a decisão de Rush de utilizar fibra de carbono fora de prazo para o casco do Titan. “Ele foi muito desdenhoso e disse: ‘Não, está perfeitamente bem. Ter todas estas certificações para os aviões é uma coisa, mas a fibra de carbono estava perfeitamente em ordem'”.

Sem surpresa, a Boeing distanciou-se da tragédia. Assim afirma que “não foi parceira no Titan e não o projetou nem construiu”, como disse um porta-voz ao jornal. Curiosamente, a empresa também não encontrou “nenhum registo de qualquer venda de material composto à OceanGate ou ao seu CEO”.

Não foi apenas Weissman que desconfiou das decisões de design de Rush

Na semana passada, o New York Times relatou que o especialista em submersíveis Karl Stanley ouviu ruídos de rachaduras durante uma viagem a bordo do Titan. Isto em abril de 2019, o que o levou a enviar um e-mail para Rush sobre suas preocupações.

Rush nunca respondeu ao e-mail. No entanto fez algumas alterações no design e construiu um novo casco, de acordo com o relatório.

Provavelmente nunca saberemos com 100% de certeza o que causou a implosão do Titan. Os especialistas, no entanto, conjeturaram que os espaços onde a fibra de carbono se encontrava com peças de titânio podem ter permitido a infiltração de água.

Se há algo de positivo em tudo isto, é o facto de os cinco passageiros terem provavelmente tido uma morte incrivelmente rápida. Ou seja, antes isto à asfixia prolongada que as equipas de salvamento temiam na semana passada, antes de o seu destino ser conhecido.

“A essa profundidade, pode ter uma fuga que não seja muito maior do que o diâmetro de um dos seus cabelos e estará morto numa fração de segundo”, disse o Capitão McLaren, comandante de um submarino de ataque nuclear, ao NYT.

“Eles nem sequer saberiam que tinham morrido”, acrescentou, dizendo que “teriam morrido antes de se aperceberem”.

Entretanto clique aqui para seguir a Leak no Google Notícias e ficar a par de todas as informações mais importantes. Pode também subscrever aqui a nossa Newsletter e receber as notícias no seu e-mail.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.