Telemóveis chineses cuidado! A Samsung está pronta para a guerra

A Counterpoint costuma-nos dar algumas informações interessantes. Normalmente dá-nos uma visão geral de determinados mercados e as principais tendências dos fabricantes, sem esquecer as marcas que produzem os telemóveis chineses!

As mais recentes novidades da Counterpoint mostram que o lucro da Samsung sofreu um declínio no segundo trimestre. Isto deveu-se sobretudo às vendas menos conseguidas da série Galaxy S9. Sejamos sinceros. É verdade que o S9, foi uma espécie de S8 e meio ou se quisermos utilizar a terminologia da Apple, um S8s. Ainda assim, é um equipamento muito bom em termos técnicos e sobretudo ao nível do design. Quer queiramos, quer não, é o único fabricante que não copia a monocelha.

O Samsung Galaxy S9 foi uma espécie de S8 e meio ou S9s

Telemóveis chineses ao ataque

No entanto, a “falha” do S9 não é a única razão para a diminuição nas vendas. De facto, cada vez temos mais marcas chinesas no mercado. E atenção porque não são as máquinas que considerávamos em tempos como smartphones do Chinês. A grande maioria dos telemóveis chineses são dispositivos que estão a dar cartas e até lançam primeiro que outras tecnologias inovadoras. Temos a Vivo, por exemplo, com a câmara para selfies motorizada ou com o leitor de impressões digitais integrado no ecrã, quando isto ainda não era moda.

Considerando todos estes desafios a Samsung tem de fazer alguma coisa e aparentemente vai fazer.

Fusão de gamas para combater os telemóveis chineses

A principal e se várias fontes ligadas à indústria estiverem corretas e fazer alterações profundas ao segmento de gama de entrada e gama média para obter mais lucros. Ou seja, já não é só a questão de vender muitos modelos, mas obter mais lucro com eles. A primeira decisão passa já por descontinuar a linha de entrada-de-gama J. A ideia é fundir a gama J com a gama A, o que até faz sentido.

Uma jogada de mestre…

Esta jogada pode, sem dúvida, combater os efeitos das novas (e também das já estabelecidas) marcas chinesas. É que estas marcas, onde se incluem fabricantes como a Xiaomi, Meizu, Vivo, entre outras, disponibilizam modelos com muito melhores especificações e preço dos que os da gama Samsung J.

telemóveis chineses

Para além disso há medidas que serão mais centradas na China. Exemplo disso é a mudança da gama Galaxy On para Galaxy M.

Os efeitos na Europa

Centrando-nos na Europa, basicamente teremos duas gamas para além da Note. A gama A e a gama S. O que acho que vai acontecer é sem dúvida equipamento com especificações mais interessantes na Gama A (a Samsung pode aproveitar os excelentes ecrãs que tem) com preço a começarem nos 200 e poucos Euros. Também vai ter mesmo de acrescentar mais memória aos equipamentos. Não poderá haver nada abaixo dos 3GB, o que eventualmente até já será pouco quando a fusão for efetivada.

telemóveis chineses
A nova estratégia visa combater também os smartphones chineses da Xiaomi!

Com isto não há dúvidas de que a Samsung se vai relançar no mercado e conseguir um bom retorno, mesmo que seja com menos equipamentos. Às vezes menos é mais.

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

2 comentários em “Telemóveis chineses cuidado! A Samsung está pronta para a guerra”

  1. Tenho serias dúvidas pricinpalmente se os problemas com os Note voltarem a confirmar. A Samsung optou por subir os preços com zero inovação. É mais do mesmo.

Deixe um comentário