Super Lucky’s Tale: Para os fãs de jogos de plataformas


Por em

Super Lucky’s Tale é um jogo de plataformas desenvolvido pela Playful e distribuído pela Microsoft.

A história deste jogo é bastante simples. Lucky está à espera que a sua irmã mais velha chegue a casa. Quando esta chega traz consigo um livro que tem poderes incríveis. Atrás deste está o vilão Jynx que tem como objetivo usar o livro para moldar o mundo à sua imagem.

Lucky, a sua irmã e Jynx são ambos sugados para dentro do livro e cabe a Lucky tirar os vários mundos que se encontram nas páginas sob o controlo de Jynx.

Os mundos que o jogador pode explorar são bastante variados. Existem florestas verdejantes, desertos e uma feira assombrada repleta de fantasmas coloridos.

É um prazer controlar Lucky e fazê-lo movimentar pelos vários níveis. Os controlos deste jogo são altamente responsivos sendo que todas as mecânicas estão muito bem apuradas.

O jogo, desde o seu início dá todas as ferramentas ao jogador para que este possa avançar na história e descobrir todos os segredos ao seu ritmo.

O que difere Lucky das outras personagens de outros platformers como Mario, Spyro e Crash é o facto de Lucky poder escavar rapidamente e andar debaixo do chão. Esta mecânica é bastante útil para poder apanhar moedas, desviar de ataques inimigos e descobrir segredos dentro dos níveis.

Os bosses deste jogo são bastante criativos e apenas seguem a regra do 3 hit K.O., ou seja, normalmente se o jogador atacar o boss de uma forma crítica mais de três vezes derrota-o. Há que destacar o último boss que tem um padrão de ataques variado e criativo, que o torna um dos bosses mais divertidos do jogo.

Apesar do jogo ter um ar infantil devido ao seu art style não se deixe enganar porque existem secções bem complicadas e que requerem concentração e reflexos rápidos.

Um dos pontos a melhorar seria aumentar a variedade de inimigos visto que ao fim de algum tempo torna-se um pouco repetitivo derrotar flores, abelhas, minhocas e fugir  de bolas de fogo. Pessoalmente não gostei muito da câmara de jogo pois esta está demasiado perto da ação e por vezes interfere nesta não dando bem a percepção da distância para saltar, o que num platformer é a coisa mais importante.

Em suma, apesar dos seus pontos fracos de Super Lucky’s Tale, este é um bom jogo. Não inova o género, mas tudo o que lá está apresentado inspira qualidade, sendo que o maior destaque vai para os seus impressionantes gráficos.Testámos a versão do PC e verificámos que esta está muito bem otimizada conseguindo facilmente 60 frames por segundo.

Leia também

Ou veja mais notícias de Jogos, Reviews

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Anterior

NVIDIA: Versão Star Wars da Titan XP chegou !

Novos problemas no ecrã do Google Pixel 2 XL

Seguinte