Na IFA Berlim 2015, a Sony anunciou não um, mas três novos Z5, o standard, o Premium e o Compact. Foi aí que a Leak teve a oportunidade de conhecer os três modelos e conversar com alguns responsáveis da marca nipónica, para conhecermos alguns dos segredos dos novos dispositivos e perceber quais as mudanças levadas a cabo para superar os problemas de performance do malfadado Z3+.

Entra o Sony Z5

O Xperia Z5 Premium abre efectivamente um novo segmento de luxo, com performance e materiais imbatíveis.
O Xperia Z5 Premium abre efectivamente um novo segmento de luxo, com performance e materiais imbatíveis.

Com os modelos Z5, a Sony reformulou de certo modo a sua abordagem aos flagship, criando três modelos com características técnicas praticamente idênticas, mas abrindo um segmento ainda mais elevado com o Z5 Premium e os seus materiais nobres, além do primeiro ecrã 4K do mercado.

Outras características são partilhadas: os três modelos possuem o poderosíssimo (ainda que problemático) Snapdragon 810 acoplado à performante Adreno 430. A memória interna nos três modelos base fica nos 32GB, enquanto a RAM são 3GB.

Bom, mas há o problema do sobreaquecimento? Genuinamente acreditamos que não.

Existe actualmente algum consenso em torno da muito real possibilidade do sobreaquecimento do 810 se dar em boa parte pelo modo como os smartphones chegam de processadores que não aceleram tão rapidamente, nem com tanta capacidade de processamento, e portanto a implementação (tanto a nível de hardware, quanto de software) foi em muitos casos insuficiente em termos da correcta gestão energética do processador.

Conversamos longamente com Daichi Yagi, da divisão de imagem móvel, e estamos em crer que de facto a Sony refinou o modo como o equipamento solicita o processador, mantendo-o sob um melhor controlo sem comprometer a performance.

O Xperia Z5 Compact é visualmente mais espesso. A Sony não correu riscos e o Snapdragon 810 é agora só performance e nenhum calor.
O Xperia Z5 Compact é visualmente mais espesso. A Sony não correu riscos e o Snapdragon 810 é agora só performance e nenhum calor.

Mas por si só, isto não bastaria. Ainda com a inestimável ajuda do responsável, compreendemos que, mais do que o processador, o trinómio processador-bateria-câmara poderia criar situações de aquecimento mútuo excessivo. Da experiência do autor, os sensores fotográficos são equipamentos que aquecem substancialmente. Tanto que em longas exposições podem criar “flares” em imagens escuras. Tipicamente, estes três componentes estão no entanto muito perto uns dos outros, e à medida que a câmara funciona e solicita a GPU e processador, e por seu turno solicitam a bateria, a confluência cria um ponto de calor excessivo.

Quanto a nós, o Z3+ tem ainda outros factores que aumentam este problema: é um telemóvel solidamente isolado contra água e poeira, e portanto tem poucos pontos por onde o calor possa dissipar.

Parece portanto que, se podemos interpretar correctamente as explicações de Daichi-san, a Sony compreendeu a necessidade de isolar melhor estes componentes uns dos outros, para não contribuírem para aquecimento mútuo. São conclusões que quanto a nós explicam porque o Z5 Compact é substancialmente mais espesso (quase 2mm) do que o Z5 padrão. Poderá igualmente ajudar a compreender porque é que este modelo perdeu a traseira de vidro para uma de alumínio: a condutividade térmica deste material é vastamente superior à do vidro, por isso o arrefecimento será mais rápido.

A experiência de Daichi-san após bastantes horas de fotografia e vídeo em Berlim é que o aquecimento já lá não está. Tendo em conta este ataque ao problema em várias frentes, que parecem implicar um grande esforço e empenho por parte da Sony, neste momento acreditamos que efectivamente os novos Z5 serão telemóveis sem problemas a este nível.

Câmara

Excelente opção: os três Z5 partilham o que será uma das melhores câmaras do mercado.
Excelente opção: os três Z5 partilham o que será uma das melhores câmaras do mercado.

Os topo de gama da Sony têm uma tradição de câmaras de alta performance, não fosse a marca a principal fornecedora de sensores fotográficos no mundo móvel. A gama Z sempre foi por isso mesmo líder de mercado e demonstradora de mercado.

Todos os modelos Z5 possuem uma câmara de 23MP e flash LED. A grande novidade não será em termos de pixéis, mas em termos do novo sistema de foco híbrido (contraste e detecção de fases) que torna a aquisição de foco bastante mais rápida do que é normal num equipamento. Nas condições luminosas do pavilhão Sony, o foco foi de facto bastante rápido, embora só testes mais profundos poderão confirmar quão bom é numa pluralidade de situações.

O destaque tem igualmente de ir para a tecnologia Steady Shot. Mais uma vez recorremos a Daichi-san que nos mostrou alguns vídeos realizados por ele próprio durante uma pedalada, e apreciamos que não só o vídeo é quase flutuante, como não notamos os típicos movimentos estranhos fora do centro da imagem, tão comuns com alguns sistemas de estabilização. O resultado é que o novo SteadyShot com Intelligent Active Mode parece ter uma performance excepcional em termos de estabilização de imagem sem comprometer a sua qualidade ou criar artefactos estranhos.

Entretanto, a câmara frontal é agora uma unidade de 5MP, mas não sabemos quão bem se comportará. Enfim, a história diz-nos que será um comportamento positivo.

Design e construção

A linha Z sempre possuiu um dos designs mais refinados no mundo móvel e o Xperia Z5 mantém a tradição.
A linha Z sempre possuiu um dos designs mais refinados no mundo móvel e o Xperia Z5 mantém a tradição.

O Z5 não é uma grande mudança em termos de desenho, em relação aos seus antecessores. Efectivamente, as principais linhas mestras do look Xperia estão cá, ao ponto de não ser surpreendente.

A questão é que, quando certos traços se tornam icónicos de uma marca, mudá-los é uma perda de tempo. Por isso, o Z5 será muito difícil de distinguir em traços gerais do seu antecessor, exceptuando a ausência do vidro e dois pormenores de monta:

Em primeiro lugar, o botão de bloqueio inclui agora um sensor de impressões digitais, o primeiro deste tipo em qualquer smartphone. Em consequência, o botão circular é substituído por um alongado.

Por seu turno, o botão de volume passa por isso para uma posição mais baixa na lateral, ficando suficientemente próximo do botão de fotografia para autorizar um movimento da mão bastante mais contido, já que apenas o polegar tem que se mexer e, sem se esticar muito, a nossa capacidade para segurar no dispositivo é apreciavelmente superior. Os pormenores valem tudo.

Os novos Z5 apresentam o primeiro sensor digital do mercado integrado na tecla de bloqueio. O reposicionamento das teclas resulta numa utilização muito confortável.
Os novos Z5 apresentam o primeiro sensor digital do mercado integrado na tecla de bloqueio. O reposicionamento das teclas resulta numa utilização muito confortável.

São estes pormenores que diferenciam muito claramente o Z5 Premium dos seus meios-irmãos. Se o Xperia Z5 padrão e o Xperia Z5 Compact são equipamentos bastante refinados em termos de curvas e materiais, o Z5 Premium é verdadeiramente outro mundo. As suas superfícies espelhadas transmitem uma clara certeza de valor acrescentado e pareceram-nos bastante resistentes à sujidade que se vai acumulando com tanta manipulação, uma verdade que pode ser extendida aos restantes Z5.

No entanto, enquanto Z5 e Z5 Compact nos mostram laterais de alumínio, a do Z5 Premium é de aço inoxidável, e a traseira é de vidro altamente reflexivo, praticamente espelhado. Nestas circunstâncias, a versão dourada não é de todo discreta, tornando quase um crime colocá-la numa capa protectora.

Quanto a nós, o desenho menos bem conseguido é o do Xperia Z5 Compact. Os seus milímetros extra de espessura, sem dúvida necessários, conferem-lhe um perfil bastante mais “bloco” do que no caso dos seus irmãos.

Finalmente, todos os três equipamentos têm certificação IP68, resistindo até 30 minutos em até 1,5m de água, enquanto o vidro do ecrã é à prova de riscos e possui uma camada oleofóbica para combater a sujidade.

Ecrã

720p de resolução fazem do ecrã do Z5 Compact um dos melhores na sua classe de tamanho.
720p de resolução fazem do ecrã do Z5 Compact um dos melhores na sua classe de tamanho.

Não só no tamanho, os ecrãs são grandes diferenciadores dentro da gama Z5. Enquanto o Xperia Z5 Compact tem um ecrã HD de 4.6 polegadas, o Xperia Z5 traz-nos 5.2 polegadas Full HD e o Xperia Z5 Premium traz-nos o primeiro ecrã de 4K no mercado.

São 5.5 polegadas com uma resolução mínima de 2160 pixéis e uma estonteante densidade de 806 píxeis por polegada. Em nenhum dos três casos vamos observar pixelização significativa a distâncias normais de visualização, embora com o seu ecrã mais pequeno, o ecrã do Z5 Premium é verdadeiramente sublime.

Embora possamos notar poucas diferenças em muitas situações e a distâncias de visualização normais, com atividades normais, o refinamento do ecrã 4K é francamente capaz de representar pormenores muito mais minúsculos e com mais exactidão do que os dos seus meios-irmãos. Numa utilização quotidiana, no entanto, as maiores diferenças serão ao nível da gama dinâmica e representação de cor.

Vários colegas comentaram como os brancos no Z5 Premium pareciam mais apagados. Maior resolução equivale quase sempre a uma maior capacidade de representar uma gama mais ampla de tonalidades e graus de luminosidade. Na prática, isto traduz-se frequentemente numa sensação de menor contraste ou vivacidade das cores, porque o contraste elevado é mais frequentemente um processamento que exagera os tons extremos e anula intermédios.

Na maior parte das situações, o ecrã Full HD do Xperia Z5 será mais do que suficiente. Cores, contraste e ângulos de visão são excepcionais.
Na maior parte das situações, o ecrã Full HD do Xperia Z5 será mais do que suficiente. Cores, contraste e ângulos de visão são excepcionais.

Adiante, o ecrã do Xperia Z5 Premium tem todavia cores profundas e negros puros, ainda que talvez os brancos possam ser algo apagados, mas de alguns segundos não podemos depreender se é algo solucionável através de calibração do ecrã. Ao mesmo tempo, os ângulos de visão são excelentes e o brilho do ecrã mais do que louvável.

No caso dos Xperia Z5 e Z5 Compact, os ecrãs continuam soberbos, embora as densidades de pixéis sejam mais pequenas e por isso se quisermos ser picuínhas vamos certamente notar diferenças. A ser verdade que no Japão haverá uma versão do Compact com resolução de 1080p, a sua densidade de pixéis será equivalente à do Z5 e por isso será dos ecrãs pequenos mais performantes do mercado. Em qualquer caso, a tecnologia Triluminos e o X-Reality Engine deverão garantir ecrãs com excelentes prestações.

Bateria

Não surpreendentemente, o Xperia Z5 Premium possui a maior bateria dos três, com 3430mAh e tecnologia Quick Charge 2.0, que permite carregar 60% da bateria em 30 minutos, ou 20% em 10 minutos. A verdade é que, com o ecrã 4K, o dispositivo bem que precisará desta potência extra.

Quantp ao Xperia Z5, a bateria é mais contida, com 2900mAh e o Z5 Compact vem com 2700mAh. Também aqui encontramos fast charging, e ambos os equipamentos prometem bastantes horas de conversação.

Expectativa

O que é um produto de topo sem acessórios de topo? Na IFA Berlim, a Sony apresentou novos auriculares de desporto ideais para um jogging com som de máxima qualidade.
O que é um produto de topo sem acessórios de topo? Na IFA Berlim, a Sony apresentou novos auriculares de desporto ideais para um jogging com som de máxima qualidade.

A nova linha Z5 é provavelmente tudo aquilo que o Z3+/Z4 deveria ter sido e não foi. Telemóveis de elevada qualidade com prestações interessantes em termos de câmara e vídeo em particular, no caso do Z5 Premium temos ainda uma construção extremamente refinada.

Resta saber se estes são os telemóveis que voltam a colocar a Sony entre os fabricantes de topo, pelo menos em termos de presença, porque em termos de qualidade a marca nipónica nunca deixou de ser líder. Mais fundamental será controlar o Snapdragon 810, e se os Z5 o tiverem consequido fazer, então a sua performance estará acima de qualquer reserva. O que nos parece mais interessante é que com o nível de refinamento do Xperia Z5 Premium, a Sony está a apostar num segmento superior, para aqueles bolsos que podem gastar um valor elevado num telemóvel capaz de se destacar muito claramente de qualquer concorrência.

Os três equipamentos devem chegar ao mercado em Outubro, e deverão custar entre €600 para o Compact, e os €800 para o Premium, com o Z5 a custar €700.

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.