Com Sharp Aquos 507SH, o Android One chega à primeira divisão


Por em

Muitos por terras lusas tiveram – em tempos distantes – um telemóvel Sharp. A marca nipónica praticamente desapareceu de terras Europeias mas, no país do sol nascente tem mantido uma boa cadência de lançamentos interessantes que dificilmente chegarão cá. Caracterizam-se por resistência à água e design simples mas elegante. Geralmente passam abaixo do radar, mas o Sharp Aquos 507SH apanhou-nos a atenção.

É que se trata da primeira instância de um smartphone Android One num mercado principal. A iniciativa Android One, relembramos, é uma parceria de algumas marcas com a Google, que visa oferecer smartphones económicos a países em vias de desenvolvimento, com um Android praticamente de origem, com uma característica fundamental: actualizações directamente da Google. Estas duas últimas especificidades tornam o Android One bastante atraente por surgirem em gamas de preço que geralmente são completamente esquecidas pelos fabricantes quanto a actualizações e suporte.

Em Portugal, o Android One é representado pelo muito equilibrado BQ Aquaris A4.5, mas podemos bem dizer que a iniciativa carece de algum alargamento para gamas de características superiores. Isto, porque em grande medida, a iniciativa Android One é um falhanço quase completo no que diz respeito ao preço: inúmeras marcas Chinesas inundaram os mercados emergentes com dispositivos mais capazes e igualmente mais baratos. Mas um capítulo continua a manter o apelo do Android One, e esse é o das actualizações directamente da Google, sem passar por intermediários.

É aqui que entra o Sharp Aquos 507SH, que não parece de todo um Android One pensado para ser económico. O design é simpático, com cores alegres, e um ecrã 2.5D, além de manter a característica principal dos Sharp: certificação IP58 à prova de água e poeira.

O ecrã, de 5.5 polegadas (o tamanho ideal para alguns) tem resolução HD 720×1280 e tecnologia IGZO com protecção Gorilla Glass 4. O processador é claramente gama média, mas relativamente bem amado, nomeadamente o Snapdragon 617 MSM8952 octa–core com 2GB de RAM ao seu dispor. Do lado do armazenamento, começamos com 16GB, expansíveis graças a microSD.

Quanto às câmaras, uma combinação de 13MP com flash e 5MP na frente é mais do que suficiente.

O Sharp Aquos 507SH conta ainda com uma bateria de 3,100mAh e conectividade 4G LTE, VolTE, NFC, GPS, e Bluetooth 4.2.

O melhor é chegar já com Android Marshmallow e ter garantida a actualização para o Android Nougat no início de 2017. Sendo um dispositivo Android One, deverá custar perto dos €200, o que o torna francamente apetecível. Uma grande pena, portanto, que dificilmente seja visto no continente Europeu.

De nossa parte, o que mais nos interessa é ver que a Google está aberta a tentar novas parcerias com a iniciativa Android One, e poderemos eventualmente ter dispositivos de melhores especificações por preços muito apetecíveis. Cruzemos os dedos.

Leia também

Ou veja mais notícias de outros

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Anterior

Fim da oferta do upgrade do Windows 10 é só em PC’s

Neandertais: provas de canibalismo e reutilização de ossos

Seguinte