Samsung ISOCELL 2.0: é agora o adeus às máquinas fotográficas?

A Samsung pode ter dado o maior salto de sempre na tecnologia fotográfica. Dito isto, anunciou um sensor muito inovador chamado ISOCELL 2.0. Na prática vai permitir desenvolver câmaras ultra-poderosas que em nada podem ficar a dever às máquinas fotográficas. Será este o princípio do fim ou ainda há um longo caminho a percorrer?

Samsung ISOCELL 2.0: é agora o adeus às máquinas fotográficas?

Um dos componentes que tem merecido muita atenção por parte dos fabricantes de smartphones são as câmaras. Os módulos estão cada vez maiores, à medida que o número de sensores aumenta. Dito isto, as pessoas começam a perguntar-se até onde é que isto irá. De facto, muitos consideram que o mercado das câmeras fotográficas pode estar mais em risco do que nunca com esta inovação da Samsung que torna os smartphones ainda mais poderosos.

ISOCELL 2.0

Logo à partida a tecnologia ISOCELL 2.0 deve trazer grandes melhorias em termos de sensibilidade de luz e cor. Para além disso vai garantir um número louco de megapixéis. A gigante coreana diz que esta tecnologia vai minimizar qualquer perda ótica e vai ajudar a capturar imagens excelentes em quaisquer ocasiões. Permite também absorver mais luz.

ISOCELL 2.0

Os smartphones que têm câmaras Samsung normalmente utilizam a tecnologia ISOCELL. Mas os mais recentes utilizam o ISOCELL Plus. É diferente devido aos materiais utilizados nos componentes. No entanto, o ISOCELL 2.0 está ainda muito melhor. E quando digo melhor, é a léguas de distância.

ISOCELL 2.0

Eventualmente ainda teremos os primeiros sensores em 2021.

Mas será mesmo o fim das câmeras fotográficas?

Do ponto de vista dos fotógrafos profissionais, com equipamentos sofisticados, a resposta é claramente não. Nunca verá fotógrafos profissionais a utilizarem smartphones como a sua câmara principal em casamentos e eventos esportivos. Mas e os fotógrafos amadores? E os pais, os adolescentes e todos os outros? Pode uma pessoa  com pouco ou nenhum treino tirar melhores com um smartphone do que com uma DSLR? Isso já pode acontecer!

É verdade que os nossos smartphones não disponibilizam o alcance de uma lente telefoto de 200 mm, mas o que falta ao nível do alcance é compensado pela espontaneidade. As pessoas vão com os smartphones para todo o lado. Com as máquinas fotográficas nem sempre acontece.

Uma DLSR com uma lente de 200 mm será ótima em muitos cenários, mas também será pesada. Com o smartphone é so tirar do bolso e fotografar.

É verdade que ainda vai levar algum tempo até termos verdadeiros sensores de alta resolução nos smartphones. Já há varias tentativas por parte da Samsung e da Huawei mas ainda não estamos no ponto certo. No entanto, a maioria das pessoas não necessita de tanta resolução, a menos que vá imprimir as fotos num tamanho de um poster. Se imprimir as imagens num tamanho normal,  as fotos ficam fantásticas quando tiradas com luz decente. Se as quiser ver no portátil ou na TV está igualmente bem servido.

ISOCELL 2.0

Para além disso temos a conveniência. Quando acabamos de tirar uma foto com o smartphone podemos editar logo as imagens no Lightroom, publicar as melhores no Instagram e fazer backup das suas fotos para a cloud sem necessitar de remover um cartão de memória ou ligar um equipamento ao computador. Numa DSLR já são necessários mais passos.

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Subscreva a newsletter Leak e tenha acesso diário aos principais destaques, ofertas e descontos nos parceiros Leak. Clique aqui

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Leia também