A protecção contra a água é uma das mais destacadas características do Xperia M5.

Esbelto, minimalista e à prova de água: o Sony Xperia M5 sucede ao M4 Aqua e traz um pouco mais de tudo, aumentando as capacidades da gama média da Sony. Mas terá o Xperia M5, o necessário para se manter à tona?

As características principais

O Sony Xperia M5 é, para todos os efeitos, um dispositivo de gama média, mas nem por isso apresenta uma construção dominada pelo plástico.

A protecção contra a água é uma das mais destacadas características do Xperia M5.
A protecção contra a água é uma das mais destacadas características do Xperia M5.

As laterais são, obviamente de plástico, mas os canos são de metal para uma maior resistência durante quedas. Um toque definitivo de requinte é a traseira em vidro mineral. As laterais de plástico, ergonómicas, erguer-se ligeiramente acima de ambos os painéis para melhor os proteger.

Seria de qualquer modo difícil distinguir este dispositivo de um Z5, distribuídos que estão os seus elementos de modo semelhante, e com traços estilísticos idênticos.

Por isso, se o design da Sony vos diz algo, o Xperia M5 vai sem dúvida captar-vos o olho. Haverá os que dizem que é altura da Sony mudar o look, mas não é a nossa opinião. Os Xperia pontuam pelo factor de forma esguio e o M5 é mais um Sony bastante fino que fica simplesmente bem na mão.

O processador é a grande novidade, um MediaTek Helio X10 que apresenta oito núcleos a 2,0GHz, e aumenta em muito a capacidade de processamento do dispositivo. Muito interessantes no segmento, são os 3GB de RAM, enquanto o armazenamento fica nos suficientes 16GB.

Face ao M4 Aqua, a evolução nota-se igualmente no ecrã, que mantém as 5 polegadas, mas passa para resolução FHD.

Nos restantes elementos externos, há que mencionar ainda a disponibilidade de um botão específico para a câmara fotográfica. O botão principal abdica no entanto do sensor de impressões digitais do Z5 e recupera a forma esférica típica dos Xperia.

Experiência de utilização

Comecemos aqui pelo exterior: o Sony Xperia M5 encaixa deliciosamente na mão, mesmo uma de tamanho compacto como a do autor. Isto deve-se acima de tudo às dimensões modestas do dispositivo, com o seu ecrã de 5 polegadas por um lado, e a espessura mínima, por outro.

Por isso é facilmente utilizável com apenas uma mão, e nem no caso das fotografias a situação muda, com o botão específico a mostrar-se útil.

Completo com compatibilidade para legendas a app Sony Video é bastante útil.
Completo com compatibilidade para legendas a app Sony Video é bastante útil.

O interface Xperia sempre foi um favorito, apesar de por esta altura já mostrar sinais de necessitar de uma revisão estética. A interface responde muito bem, e o Helio X10 dá cartas na responsividade do sistema e da navegação pela Internet. Do lado das apps, a Sony nunca desistiu de equipar ao Xperia com o seu próprio software e isso talvez seja uma boa coisa: as apps de música e vídeo são bastante completas e úteis.

Claro que o ecrã não será das dimensões mais apetecíveis para vermos multimédia, mas, graças a uma excelente densidade de pixéis, as imagens são nítidas e as cores intensas. O ecrã é francamente do melhor que encontramos nesta classe, graças ao Mobile Bravia Engine e tecnologia X Reality.

Os gráficos não serão os melhores, mas o Xperia M5 oferece uma experiência de jogo muito positiva.
Os gráficos não serão os melhores, mas o Xperia M5 oferece uma experiência de jogo muito positiva.

Quando começamos com os jogos, não ficamos mal: correm bem e de modo fluido, mas não com os melhores gráficos de mercado. A RAM DDR3 a modestos 933Mhz e a gráfica PowerVR G6200 não permitem mais. A gráfica da Imagination não é, de facto, pensada para grandes cargas, ficando atrás das capacidades da Adreno 330 que equipa, por exemplo, o Sony Xperia Z3. Para jogos intensos como o N.O.V.A. ou World of Tanks, a combinação será todavia mais do que suficiente para boa jogabilidade, sem o dispositivo aquecer demasiado. Nada mau para a gama média.

Finalmente, o M5 chega com o Android 5.0, o que é uma pena, mas o Aqua já começou a receber o Marshmallow e esperamos que o M5 vá pelo mesmo caminho em breve. As nossas reservas prendem-se apenas com a típica relutância da MediaTek em colaborar nas actualizações.

Áudio

Nada de especial aqui. A gama média não é conhecida pelo som estéreo e não vai ser o M5 a mudar a história (já o Alcatel Idol 4S…). O som é meramente mono, por isso os jogos são melhor aproveitados com auriculares que o M5 não traz, algo realmente incompreensível nesta faixa de preços. A Sony não tem exactamente que comprar auriculares a terceiros.

Melhores noticias na telefonia. As chamadas são claras e nítidas.

Bateria

A bateria de 2600mAh é um resultado óbvio do corpo esbelto do Sony Xperia M5, e não é particularmente má para o tipo de especificações do dispositivo.

No entanto, os utilizadores intensivos lutarão para a fazer durar um dia inteiro. O modo Stamina está a bordo para esticar um tanto mais a corda, no entanto.

Fotografia

Com 21MP, a câmara Xperia M5 é líder na sua classe de preço.
Com 21MP, a câmara Xperia M5 é líder na sua classe de preço.

Ponto extremamente alto do Sony Xperia M5 é a câmara de 21.5MP, idêntica à do Xperia Z5 que já tivemos hipótese de experimentar.

A nossa experiência com este sensor permitia esperar excelentes imagens e não ficamos desiludidos: as imagens têm detalhe de sobra para fazermos crops agressivos e continuarmos com muito para apreciar.

Como uma boa foto é em boa parte o timing, o Xperia M5 apresenta um foco híbrido extremamente rápido, que foca quase instantaneamente. Infelizmente não foca tão perto quanto desejaríamos: cerca de cinco a dez centímetros é o mínimo. Deveria ser suficiente, mas como a câmara tem um grande ângulo de visão, a essa distância os objectos continuam a ser muito pequenos.

A tecla dedicada à fotografia é outro must que permite activar a câmara rapidamente e sacar uma foto num instante.

Por outro lado, não se compreende a opção por um flash de um único tom, numa altura em que os flashs de dois tons são a norma e garantem tons mais naturais.

Se o vídeo é importante, a capacidade de captar a 2160p é das melhores do mercado.

E claro, se a câmara tem ao seu serviço um excelente sensor, não tem uma app capaz de tirar daí grande proveito. A app de base, com o seu modo automático inteligente, garante imagens muito detalhadas, mas dá pouco controle sobre o resultado final.

À frente encontramos ainda uma muito generosa câmara de 13MP a que falta apenas um flash, mas graças ao reconhecimento de rostos e sorrisos, pelo menos tirar delfins é da maior facilidade.

[carousel ids=”36329,36322,36326,36325,36324,36323,36328″]

Conclusão

Não há como negar que o Sony Xperia M5 é uma aposta muito forte na gama média. Aliando construção com painéis de vidro, protecção contra água e poeira, e excelente capacidade de processamento, a um par de câmaras das mais potentes no mercado, o M5 simplesmente oferece características raras no segmento.

O melhor é que, com o lançamento da gama Xperia X, começamos a ver o preço do Xperia M5 a baixar, tornando-o um excelente negócio neste momento.

A performance do M5 não compromete e permite-lhe bater-se taco a taco com ofertas mais recentes, para um conjunto globalmente interessante na actual gama de preço.

O Xperia M5 face à concorrência

O Sony Xperia M5 é uma excelente compra neste momento, mas se anda à procura de um smartphone com ecrã de 5 ou 5,2 polegadas, pode sempre olhar para estas alternativas. A reter, dois pontos importantes: o Xperia M5 tem as câmaras mais potentes e é o único na classe a sobreviver a uma chuvada.

  • Huawei p9 lite: No papel, o Huawei P9 Lite é bastante semelhante, partilhando armazenamento interno e RAM, mas câmaras globalmente menos expressivas. É igualmente um smartphone muito bonito, mas os remates dos acabamentos parecem melhores no Xperia. O Kirin 650 no P9 Lite e a Mali T830, possuirão performances sensivelmente idênticas, mas o Android Marshmallow já está a bordo e esse é um bom argumento
  • Samsung Galaxy A5 (2016): O Samsung Galaxy A5 2016 continua a tradição da série A de dispositivos de gama média com construção excepcional. Partilha os painéis de vidro na construção, e apresenta um interessante Snapdragon 615 com 2GB de RAM e 16GB de armazenamento. As câmaras são dignas, mas o maior inimigo do A5 é o seu preço pouco competitivo.
  • Alcatel Idol 4: Elegante, mas bem construído e com um preço inacreditavelmente baixo para o que oferece, o Alcatel Idol 4 é uma das mais impressionantes opções de gama média no mercado atual. O ecrã é FHD e o Snapdragon 617 muito capaz com 3GB de RAM. O armazenamento interno é idêntico, e a câmara é mais modesta mas tem uma das mais completas interfaces do mercado. E ainda bem com excelentes óculos VR.
  • BQ Aquaris X5: O Aquaris X5 tem uma relação qualidade-preço difícil de bater e melhor mesmo que a do M5. Mas quase 100€ a menos não chegam sem custos e o bonito Aquaris de metal tem um processador menos vitaminado e um ecrã HD. A sua versão com 3GB de RAM traz no entanto mais memória interna e a câmara possui excelente performance, mesmo se com menor resolução. Android Marshmallow a bordo.
  • Wiko Fever: Do processador à memória RAM, passando pelo armazenamento interno, o Wiko Fever é muito parecido com o Xperia M5. O ecrã é marginalmente maior, com a mesma resolução, e as câmaras ficam obviamente aquém do portento da Sony, mas o preço pode ser decisivo.

 

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.