Inicio outros Em profundidade: como a Samsung quer tornar as baterias mais seguras

Em profundidade: como a Samsung quer tornar as baterias mais seguras

A Samsung partilhou ontem as conclusões às explosões do Galaxy Note 7. Perto do final da conferência, a Samsung detalhou o seu programa de controlo de qualidade, um conjunto de medidas multidisciplinares que pretendem impedir que ocorra outro incidente semelhante ao do Note 7.

São medidas que irão afectar todas as envolventes da produção de baterias e componentes, pelo que apresentamos aqui somente as linhas mestras. Será nas linhas de montagem e nos laboratórios da Samsung que estas medidas ganharão forma em protocolos, práticas e padrões de qualidade.

Galaxy note 7

  • A Verificação de Segurança de 8 pontos: este programa de verificação das baterias reforça a segurança desde o nível de componentes, até à montagem e envio de dispositivos. Incluem-se na verificação testes avançados (Teste de Durabilidade, Inspeção Visual, Teste de Raio X, Teste de Desmontagem e Teste OCT – tomografia de coerência óptica), bem como novos testes (Teste de Carga e Descarga, Teste TVOC – teste de químicos orgânicos voláteis – e Teste de Uso Acelerado).

 

  • O protocolo de medidas de segurança multinível da Samsung implementará padrões de segurança rigorosos em todos os elementos dos dispositivos da empresa, incluindo o design e os materiais utilizados, a resistência e as capacidades do hardware do dispositivo e algoritmos melhorados para uma temperatura, corrente e duração do processo de carregamento mais seguros.

 

  • A Samsung formou um grupo consultivo em segurança de baterias com consultores externos, composto de especialistas académicos e investigadores para garantir que a empresa mantém uma perspectiva clara e objectiva sobre inovação e segurança de baterias. Os membros incluem Clare Gray, Ph.D., Professor de Química, Universidade de Cambridge; Gerbrand Ceder, Ph.D., Professor de Ciência e Engenharia de Materiais, UC Berkeley; Yi Cui, Ph.D., Professor de Ciência e Engenharia de Materiais, Universidade de Stanford; e Toru Amazutsumi, Ph.D., CEO, consultor da Amaz Techno.

Com estas medidas, a Samsung muda o seu próprio paradigma de funcionamento, ao mesmo tempo que dá o exemplo a outras marcas, quanto aos padrões de segurança a aderir.

Afinal, tendo em conta as análises efectuadas às baterias defeituosas, conclui-se facilmente que este problema poderia ter afectado qualquer fabricante.

Com esta abordagem, a Samsung espera poder detectar precocemente todos os problemas que condenaram o Note 7, evitando riscos para os consumidores e – claro – o embaraço de um desaire custoso.

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Subscreva a newsletter Leak e tenha acesso diário aos principais destaques, ofertas e descontos nos parceiros Leak. Clique aqui

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

Netflix: Away é a série que nunca deveria ter ido embora!

O Netflix, para mim, é sem dúvida a melhor plataforma de streaming de sempre. Claro que gosto igualmente do Disney+, mas por enquanto a...

PS Now prepara-se para receber novos jogos! Já cheira a natal!

Tal como acontece todos os meses, a PlayStation Now prepara-se para receber novos jogos na sua plataforma. Deixando os jogadores numa posição ainda mais...

(Primeiras Impressões) POCO M3: Até a sair da caixa impressiona!

(Primeiras Impressões) POCO M3: A Xiaomi gosta sempre de impressionar nas gamas mais baixas do mundo dos smartphones, mas este novo POCO M3 é...

Boas notícias! Globaldata tem a RTX 3060 Ti a pouco mais de 400€

As gigantes das placas gráficas NVIDIA e AMD impressionaram forte e feio em 2020, ao serem capaz de apresentar novas gamas de placas gráficas...

(Especial/Análise) 8Gb, 16Gb ou 32Gb de RAM? Qual é a diferença?

(Especial/Análise) 8Gb, 16Gb ou 32Gb? - Comprar um PC nunca é uma tarefa fácil, especialmente se formos fazer uma build personalizada, onde a escolha...