O novo DJI spark – O primeiro mini drone do gigante dos drones

30104
0
Share:

Com uma quota de mercado de cerca de 40%, a DJI é indiscutivelmente um dos monstros deste novo mercado dos Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTS). A marca atingiu este estatuto ao apostar num design e marketing muito forte, aliado a especificações técnicas lideres de mercado. No entanto, o último drone da empresa representa um pequeno desvio na estratégia da empresa que é conhecida por oferecer modelos topo de gama: É o primeiro VANT “acessível” a iniciantes da marca.

Comparando as especificações técnicas com outros drones no mercado, as limitações do spark tornam-se aparentes. Com uma bateria de 1480 mAh, o spark aguenta cerca de 15 minutos a voar, atingindo uma velocidade máxima de 50 quilómetros por hora. Já o phantom 3 standard, que apresenta o mesmo preço, tem uma capacidade de voo de 25 minutos e uma velocidade máxima de 57 quilómetros à hora.

Pela positiva, é de notar que a câmera tem 12 megapixéis, igual ou semelhante a muitos drones topo de gama, e que apenas pesa 300 gramas com uma distância ponta a ponta de cerca de 17 cm.

A grande novidade, no entanto, vem com a compatibilidade da bateria com carregadores USB. Qualquer dono de um drone sabe que o maior problema com os modelos presentemente disponíveis no mercado é o tempo de voo. Para passar uma tarde toda com o drone fora de casa, é sempre preciso trazer baterias extras juntamento com o controlador, drone, hélices, e os outros acessórios todos. Há quem diga que esta tem sido uma estratégia das empresas no mercado para maximizar as receitas, mas a realidade é que a tecnologia das baterias continua aquém da procura no mercado.

Como tal, esta iniciativa da DJI representa um avanço significativo pois possibilita os utilizadores trazerem um power bank para recarregar a bateria em vez de terem de andar com 2 ou 3 baterias na mochila.

Como bónus, o spark é ainda compatível com os recentemente lançados GJI Goggles, que são os primeiros First Person View (FPV) goggles da empresa. Com uma latência de apenas 110 ms, esta combinação é muito apetecível a ambos o consumidor e à marca, que garante também uma avenida à gama de preços que ela mais gosta: Acima dos 1000$.

Mais informações sobre drones estão disponíveis aqui.


Share:
Pedro Moorcraft

Leave a reply