Novos iPads de sétima geração apostam em funcionalidade velhas

No dia 25 de março, a Apple deverá realizar um evento onde vai apresentar o novo serviço Apple News que terá um modelo de subscrição pago. Em simultâneo também deverão ser apresentados ao mundo os novos AirPods 2. Entretanto com base nas certificações da Comissão Económica da Eurásia (EEC) e do Bureau of Indian Standards (BIS), a Apple vai apresentar também a sétima geração do iPad da Apple e do iPad mini 5. Afinal o que vamos poder contar nos iPads de sétima geração?

iPads de sétima geração podem apostar em funcionalidades “velhas” mas úteis

Os rumores à volta do iPad mini 5 indicam que este tablet deve ser muito semelhante ao  iPad mini 4 de 2015. No entanto haverá uma grande diferença. Um chipset mais recente no interior. Lembramos que o modelo mais antigo vinha com o A8. É o que dá vida ao iPhone 6 e ao iPhone 6 Plus de 2014.

sétima geração

Já as grandes questões em torno do iPad da sétima geração giram à volta das especificações. Uns afirmam que o ecrã vai aumentar para as 10 polegadas. Outros revelam que ele vai ficar do mesmo tamanho. Ou seja, 9.7 polegadas.

As outras novidades (ou não) estão relacionadas com as funcionalidades.

Assim, enquanto uns esperavam que o Touch ID desaparecesse do iPad para dar lugar ao Face ID, parece que isto não vai acontecer. É que os rumores mais recentes afirmam que a tecnologia biométrica mais antiga estará presente. Isto significa também que o botão home (onde este reconhecimento é feito) vai manter-se.

Entretanto o novo iPad deverá integrar uma saída para auscultadores. Isto vai certamente agradar aos utilizadores mais revivalistas. É que à semelhança do que aconteceu com muitos smartphones Android, também os novos Android perderam esta porta.

Entretanto há mais uma novidade no que diz respeito à conetividade.

Segundo Ming-Chi Kuo, da TF International, considerado um dos principais analistas da Apple, o novo iPad continuará com a porta Lightning proprietária da Apple, em vez de mudar para USB Tipo-C.

Isto é sem dúvida uma jogada interessante da Apple numa altura em que esta empresa começou a enfrentar uma nova concorrência por parte da Microsoft. É que os Surface Go são neste momento um concorrente de peso e a Apple tem de pensar muito bem em todos os passos que dá.

A luta no mercado de tablets continua, com os clientes a virarem-se para equipamentos com ecrãs de maiores dimensões. Os analistas calculam que este ano sejam enviados 141 milhões de unidades para distribuição. Posteriormente teremos quedas neste mercado de 2,3% ano após ano, entre 2021 e 2023.

Não percas nenhuma novidade. Segue-nos no Instagram, no Facebook e no Twitter!