Motorola Edge+ falha redondamente nos testes do DxOMark

O Motorola Edge+ lançado em abril é o dispositivo mais recente de uma das marcas mais conhecidas em todo o mundo. O smartphone chega com um design muito moderno e um hardware poderoso, mas como se sai ao nível da fotografia? Como sempre, a resposta chega do conhecido site DxOMark que testou em pormenor o Motorola Edge+!

Motorola Edge+ falha redondamente nos testes do DxOMark

Antes de passarmos aos resultados vamos olhar para as principais características deste equipamento no campo da fotografia. Logo à partida temos um sensor principal de 108 megapixéis com 1,33 polegadas e uma distância focal equivalente a 26 mm. Conta com estabilização ótica de imagem. Logo a seguir, temos um sensor telefoto de 8 MP, com uma distância focal equivalente a 81 mm. Está também presente um ultra-angular de 16 MP, com distância focal equivalente a 13 mm e abertura f/2.2. Outras características dão conta de assistência laser à focagem, flash com LED duplo e suporte para captura de vídeo 6K 30fps, 4K 30fps, 1080p (30/60fps).

Motorola Edge+ DxOMark

Ao nível do teste propriamente dito, o smartphone da Motorola conseguiu atingir 113 pontos no total. A pontuação coloca-o na 20ª posição no sistema geral de classificação de sites, o que obviamente não parece muito bom para o que é o equipamento mais recente da Motorola. O Edge+ está, de facto, atrás de muitos smartphones emblemáticos de 2019, incluindo do Xiaomi Mi CC9 Pro Premium lançado em novembro do ano passado.

De qualquer forma, a pontuação está subdividida em 119 para fotografia e 101 para vídeo.

No caso da fotografia temos um elevado nível de detalhe, com ruído bem controlado e uma boa exposição. Além disso, o DxOMark revela que o balanço de brancos é preciso e consistente; enquanto as imagens capturadas com a câmara ultra-angular mostram bons detalhes.

No entanto, nem tudo são boas notícias. O Motorola Edge+ não se portou tão bem com um nível de zoom médio e sobretudo com níveis mais elevados de aproximação. Foram observados também alguns artefactos. O mesmo se passou com cores internas no modo retrato. Finalmente as fotos à noite fica levemente subexpostas.

Em termos de vídeo, assim como nas fotos, o DxOMark encontrou uma boa exposição e detalhes elevados na maioria das condições. O ruído foi bem controlado e o acompanhamento da focagem automática foi bastante eficaz. Já em ambientes fechados algumas filmagens ficaram com um forte tom verde.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Mais deste autor

Relacionadas

Publicidadespot_img

Últimos artigos

PC Health Check da Microsoft já não está focado no Windows 11

Ainda se lembra do PC Health Check? Um programa lançado pela gigante Microsoft, de forma a ajudar os utilizadores na transição para o novo...

Combustíveis: Qual é a diferença entre Simples e Aditivado?

Pois bem, há alguns dias atrás, dentro do tema da crise energética que assola toda a Europa, e que faz parte dos pesadelos da...

O protótipo do primeiro iPod era horrível. Sabe porquê?

Caso não saiba, o primeiro iPod chegou ao mercado há 20 anos! (Sente-se velho?) Aniversário feito no último fim de semana, visto que o...

Não perca nenhuma informação de última hora!

Registe-ne na Newsletter Leak e receba diariamente todas as informações no seu email!