Silica

Project Silica: Caso não saiba, o departamento de computação na Cloud da Microsoft tem estado a desenvolver um método de armazenamento que foi pensado apenas e só para conseguir passar o ‘teste do tempo’.

Ou seja, temos aquilo que é no fundo um tipo de armazenamento ótico, sendo uma pequeno quadrado de vidro com as dimensões de 7.5 cm x 7.5 mm x 2mm, capaz de alcançar os 75.6GB de capacidade de armazenamento, onde podemos incluir funcionalidades de correção de código.



Project Silica: CD, DVD ou Blu-Ray? A Microsoft tem algo que irá durar para sempre!

Silica

Portanto, ao contrário de outros media óticos como os CDs, DVDs ou Blu-Rays, o Project Silica da Microsoft não precisa de contar com poços de gravação no plástico para perceber se tem 0’s ou 1’s gravados. Em vez disso, a solução da Microsoft utiliza deformações em nano-escala, ao mesmo tempo que uma nova Inteligência Artificial foi criada para conseguir ler toda a informação armazenada, mesmo com o envelhecimento e desaparecimento do material.

Em suma, o Microsoft Project Silica foi criado para resistir a ser fervido em água quente, cozido num forno ou micro-ondas. É capaz de resistir a inundações, desmagnetização, etc… A ideia é sempre resistente a tudo aquilo que historicamente já destruiu informações vitais.

Dito tudo isto, porque razão está uma empresa focada na computação na nuvem a trabalhar num tipo de armazenamento físico?

Realmente é um pouco estranho, mas alguns especialistas afirmam que a Microsoft poderá tentar vender este formato de alta durabilidade a clientes que realmente queiram a segurança do seu lado.

Assim de repente… É fácil pensar no exército Norte Americano, etc… Contudo, também é verdade que o sistema de mísseis nucleares dos Estados Unidos, apenas abandonou o sistema de disquetes há algumas semanas. Por isso, tenho alguma dificuldade em perceber tudo isto.

Ainda assim, fica a questão… Será que isto tem alguma utilidade para o utilizador comum?


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Fonte

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.