Três marcas desaparecidas que revolucionaram os smartphones!

Ligações rápidas

Já tivemos muitas empresas de smartphones no mercado que com o tempo foram desaparecendo. Deste grupo algumas não eram necessariamente grandes nomes, mas entre as marcas mortas, há várias que se destacam. Tudo isto porque eram inovadoras e de algum modo estavam à frente do seu tempo. Assim vamos olhar para marcas desaparecidas que revolucionaram os smartphones.

Três marcas desaparecidas que revolucionaram os smartphones!

LG

Uma empresa que esteve na vanguarda do mercado dos smartphones durante anos e que entretanto saiu, é a LG. O que fez com que a LG se destacasse da concorrência foi o facto de, durante os últimos anos de vida da sua divisão móvel, ter tido duas linhas emblemáticas separadas, a série G e a série V, que se inclinavam fortemente para um tipo específico de cliente entusiasta. Inicialmente, a série V distinguia-se da série G pela inclusão de características mais fortes, mas, com o tempo, as duas linhas acabaram por ser bastante semelhantes. Uma dessas características tornou-se particularmente identificada com a LG: a ênfase no áudio topo de gama.

Toda a série V, bem como a série G a partir do G5, incluíam um conversor digital-analógico de alta resolução e microfones de alta qualidade, potenciados por uma aplicação de gravação de áudio com um modo de alta resolução. Para tirar o máximo partido do seu poder, era necessário utilizar uma de algumas aplicações de música específicas. No entanto, as funcionalidades de áudio acrescentavam muito valor aos carros-chefe da LG. Entretanto a LG anunciou o fim do seu negócio de smartphones a 5 de abril de 2021, num comunicado de imprensa.

Blackberry

O Blackberry foi efetivamente o primeiro smartphone moderno a atingir popularidade em massa. Os telemóveis Blackberry eram uma extensão dos anteriores pagers da empresa, que se baseavam na sua tecnologia de servidor proprietária para fornecer aos clientes empresariais a versão mais antiga do correio eletrónico baseado em push para os telemóveis dos seus empregados. Em 2003, isto tomou a forma de um smartphone tal como o conhecemos agora, o BlackBerry 7230.

Entretanto a Blackberry teve um avanço significativo – especialmente no mundo empresarial – quando o iPhone foi lançado em 2007. No entanto, o iPhone teve imediatamente uma vantagem significativa com a sua interface de ecrã tátil e com a sua loja de aplicações. Foram precisos anos para recuperar o atraso, com o Blackberry Z10 de 2013 a fazer evoluir a marca através de um dispositivo mais centrado no toque.

Nessa altura, o iPhone – e os telemóveis Android que lhe seguiram o exemplo – não só tinham reduzido a quota de mercado da Blackberry no mercado de consumo, como também no sector empresarial. As notificações push e a fácil integração de diferentes sistemas de correio eletrónico eram agora o padrão noutros smartphones, pelo que a base de utilizadores da Blackberry se resumia a fiéis de longa data. Em 2016, a Blackberry anunciou que tinha deixado de fabricar telemóveis e que passaria a ser uma empresa de software, ao que se seguiu a decisão de 2022 de terminar o suporte dos seus telemóveis não Android.

Palm

Tal como o Blackberry era a solução de correio eletrónico empresarial, o assistente pessoal digital PalmPilot foi o dispositivo que popularizou o que são agora várias funcionalidades padrão dos smartphones. Os utilizadores do PalmPilot podiam facilmente acompanhar as suas listas de contactos e calendários de compromissos, tal como fazemos agora nos nossos telefones.

O telemóvel mais icónico chegaria ao mercado em 2009 com o nome de Palm Pre, fazendo frente ao iPhone 3GS. Ou seja, a terceira versão de smartphone da Apple. O entusiasmo pelo Pre fez subir muito o preço das acções da Palm. Mas no lançamento, algumas falhas gritantes prejudicaram-no, como o facto de o corpo do telemóvel ter arestas invulgarmente afiadas e o software não ter um despertador no lançamento. Uma loja de aplicações de crescimento lento também não ajudou. A meio do ciclo de vida do Pre, em 2010, a HP comprou a Palm. Isto em parte para aproveitar o webOS para um novo tablet. O produto também não agradou ao público e o Pre também não teve seguimento. Com o súbito declínio da marca Palm, a HP optou por vendê-la por partes.

Acrescentava mais alguma marca a esta lista de smartphones?

Siga a Leak no Google Notícias e não perca todas as informações mais importantes.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Leia também

35 graus é suficiente para perder esta autonomia no seu VE!

Nenhum automóvel escapa ileso a condições climatéricas mais extremas. Com as temperaturas a aquecer, sobretudo esta semana, os proprietários de veículos eléctricos confrontam-se com...

Anda a ver CAPTCHAs a toda a hora? Esta é uma das razões!

Se utiliza uma rede privada virtual (VPN) enquanto navega ou para aceder a streaming, é provável que resolva mais CAPTCHAs do que gostaria. O...

Tem a certeza que está a utilizar o para-sol de forma correta?

A utilização de um para-sol quando estaciona sob luz solar direta é uma forma fácil, económica e comprovadamente eficaz para combater o calor e...

Estas são as causas da baixa pressão do óleo no seu automóvel!

A maioria das pessoas sabe que o óleo é um componente vital para os motores de combustão interna que alimentam a maioria dos nossos...

Pixel 9 – Afinal… Revolução ou mais do mesmo!?

No mercado atual de smartphones, é muito mais comum ver as fabricantes a apostar em atualizações incrementais, em vez de novidades realmente inovadoras e...

Cinco anos de prisão devido à IPTV: autoridades à caça! 

Os gastos mensais não param de aumentar para milhares de portugueses. Afinal de contas todos os serviços estão de uma forma geral mais caros...

Newsletter Leak

Receba todas as notícias e destaques diretamente no e-mail. É grátis!

Artigos relacionados