iPhone pode estar imune às baterias removíveis!

Como já noticiámos algumas vezes, a União Europeia decidiu mudar as regras do jogo, para tentar dar um outro foco à longevidade dos produtos eletrónicos, e assim ajudar na sustentabilidade e eficiência da produção deste tipo de aparelho tão essencial para todos nós. Mas, existem exceções, e por isso mesmo, como deve imaginar, as grandes fabricantes vão aproveitá-las ao máximo.

iPhone pode estar imune às baterias removíveis!

iPhone

Portanto, como deve saber, a União Europeia aprovou um novo conjunto de regras para tentar melhorar a sustentabilidade do mundo dos smartphones, e não só, visto que a ideia é mesmo mudar a forma como as baterias são feitas e posteriormente descartadas pelos utilizadores, e também pelos fabricantes.

No entanto, isto não significa automaticamente que todas as fabricantes de smartphones vão mudar completamente a forma como desenham e produzem telemóveis. As coisas não funcionam assim.

Muito resumidamente, o mercado vai começar a dar mais ferramentas aos consumidores para trocarem componentes em casa, com um grande foco na bateria, que tem obrigatoriamente de ficar mais fácil de trocar.

Isto é verdade para todas as fabricantes, seja a Apple, a Samsung, ou outra qualquer.

Porém, isto não significa necessariamente que seja obrigatório voltar aos tempos em que era possível trocar uma bateria por outra, ao abrir uma portinha na traseira do nosso smartphone.

A União Europeia tem um conjunto de regras excecionais, que continuam a ser vantajosas para os consumidores, mas não são tão pesadas para as fabricantes como inicialmente se esperava.

Ou seja, se porventura um aparelho tiver certificação contra água e pó de níveis elevados, pode ser excluído de muitas destas regras. O iPhone, e na verdade a grande maioria dos smartphones, não são à prova de água, são apenas “resistentes”. Mas isto pode empurrar as fabricantes a apostar mais nesta vertente, para garantirem que não têm de criar designs com baterias removíveis.

Além desta exceção, as fabricantes de smartphones podem continuar a implementar baterias não removíveis, desde que as mesmas sejam de qualidade muito elevada. Ou seja, que aguentam pelo menos 1000 ciclos de carga-descarga, sem perder mais de 20% da sua capacidade original. 1000 ciclos significam 1000x dos 0 aos 100%. Se carregar uma vez por dia, isto significa 1000 dias de uso, o que dá quase 3 anos de uso.

Conclusão

As baterias removíveis podem muito bem nunca chegar a ser uma realidade nas gamas mais altas do mundo dos smartphones. Mas uma coisa é certa, as coisas vão melhorar para o lado do consumidor, com maiores níveis de qualidade de construção, e baterias mais duradouras.

Entretanto clique aqui para seguir a Leak no Google Notícias e ficar a par de todas as informações mais importantes. Pode também subscrever aqui a nossa Newsletter e receber as notícias no seu e-mail.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, fui sempre aquele membro da família que servia como técnico ou reparador de tudo e alguma coisa (de borla). Agora tenho acesso a tudo o que é novo e incrível neste mundo 'tech'. Valeu a pena!

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.