Insatiable: Ainda não estreou na Netflix e já há 100.000 pessoas contra!


Por em

Mais de 100.000 pessoas assinaram uma petição da change.org, iniciada há apenas quatro dias, que pede à Netflix que cancele sua próxima série Insatiable, alegando que ela poderá embaraçar as pessoas.

A série é descrita pela Netflix como “uma comédia de vingança obscura e distorcida” e deve ser lançada a 10 de agosto. Os signatários da petição, no entanto, não veêm nada de cómico em assuntos relacionados com a “vergonha do corpo”.

A criadora da petição, Florence Given, argumenta que esta série não só “perpetua a toxicidade da cultura de dieta, mas a objetificação do corpo das mulheres”.

O trailer da série apresenta uma adolescente chamada Patty, interpretada pela atriz norte-americana Debby Ryan a ser intimidada e ostracizada por causa de seu peso.

A história sofre, no entanto, uma mudança brusca de direção, quando Patty leva um soco na face. Entretanto, a personagem perde uma quantidade substancial de peso durante as férias de verão e no regresso à escola começa a ser muito apreciada pelos seus colegas.

As próximas cenas mostram Patty a vingar-se daqueles que a intimidaram entrando em vários concursos de beleza.

A criadora da petição acredita que a série vai “[criar] muitas dúvidas nas mentes das jovens que vão pensar que para serem felizes e dignas, precisam de perder peso”.

A ativista feminista também apontou para possíveis riscos para a saúde, alegando que a série “causará distúrbios alimentares” e que “o trailer já provocou isso mesmo em algumas pessoas”. O que acham depois de verem o trailer?

No entanto, as estrelas da série já vieram a público defender o seu trabalho.

Leia também

Ou veja mais notícias de Música, Cinema e TV

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Etiquetas
Anterior

Xiaomi MI A2/Lite já chegaram a Portugal a partir de 250 Euros!

Tesla a ficar sem dinheiro? Empresa pediu descontos ‘retroativos’ a fornecedores!

Seguinte