A Google continua a desenvolver esforços para proteger a criatividade online e revelou que está a fazer ainda mais para ajudar a combater as infrações aos direitos de autor. Uma nova atualização, é hoje anunciada no seu relatório How Google Fights Piracy que explica os programas poderosos e tecnologias que a companhia implementa para combater a pirataria online.

“A Internet continua a ter um grande benefício para os criadores, para as suas comunidades e para a indústria dos conteúdos. Na Google, assumimos o compromisso de ajudar estas indústrias a florescerem online. Hoje, os serviços da Google disponibilizam conteúdos a pessoas de todo o mundo e geram receitas significativas para os detentores dos direitos de autor. Só o YouTube já gerou mais de 2 mil milhões de dólares para os proprietários dos direitos de autor ao monetizar os conteúdos dos utilizadores através do Content ID, o seu sistema líder da indústria para gestão dos direitos”, revelou Katie Oyama, Senior Policy Counsel da Google,num post publicado.

Na mesma mensagem, Katie refere ainda que “levamos muito a sério a proteção da criatividade online e estamos a fazer ainda mais para ajudar a combater as infrações aos direitos de autor. Hoje, anunciamos uma nova atualização no nosso relatório How Google Fights Piracy que explica os programas poderosos e tecnologias que implementamos para combater a pirataria online:

Seguem alguns destaques destes esforços:

Liderando a indústria na busca de soluções de direitos de autor que funcionem:  Nós vamos para além dos requisitos da lei e lideramos a indústria na procura de soluções que efetivamente resultem. O Content ID é um grande exemplo dos nossos esforços. O Content ID vai para além de um sistema básico de ” notificação e remoção”. Este sistema disponibiliza um conjunto de ferramentas automatizadas que habilita os proprietários dos direitos de autor para automaticamente identificarem o seu conteúdo e escolherem se pretendem monitorizar, bloquear ou monetizar o vídeo no YouTube. O Content ID é uma solução altamente eficaz e, atualmente, mais de 98% de gestão dos direitos de autor no YouTube ocorre através do Content ID sendo que apenas 2% é gerido através das notificações para remoção.

Proporcionar novos fluxos de receitas para as indústrias de media e detentores de conteúdos:O Content ID também criou um novo fluxo de receitas para a indústria dos conteúdos. Desde o lançamento do Content ID, o YouTube já pagou mais de 2 mil milhões de dólares a quem monetizou o seu conteúdo através deste sistema. De facto, cerca de 90% dos pedidos do Content ID resulta em monetização. A indústria da música escolhe monetizar mais do que 95% dos seus pedidos, optando por deixar o conteúdo na plataforma – metade da receita proveniente do YouTube vem de conteúdos dos fãs reivindicado via Content ID. Graças ao Content ID, o YouTube também é a única plataforma que proporciona aos parceiros uma forma automatizada para monetizar diretamente o uso background/ acidental e os covers.

Ligar fãs entre si para legitimar melhor as alternativas: A melhor maneira de combater a pirataria é com alternativas mais convenientes e legítimas. E a Google está mais que ajustada no que diz respeito a parcerias com a indústria de conteúdos para criar e possibilitar essas alternativas. Através do YouTube e do Google Play, a Google ajuda os utilizadores a descobrirem, comprarem e apreciarem legitimamente música, filmes, livros, revistas e aplicações. Graças a estas plataformas, o Google Play já pagou mais de 7 mil milhões de dólares a programadores enquanto que o YouTube já pagou mais de 3 mil milhões de dólares à indústria da música. Atualmente, o Google Play disponibiliza as suas músicas em 62 países, os filmes em 105 países e os livros em 75 países

Resolução para pesquisar: Graças aos esforços dos engenheiros da Google, a grande maioria das buscas relacionadas com media que os utilizadores fazem diariamente apresentam resultados apenas com links para sites legítimos. Nos casos de links problemáticos que possam aparecer relativos a mais raras pesquisas apelidadas de long-tail , os nossos sistemas de processamento de notificações de remoção de direitos de autor e que lidam com milhões de URL diariamente funcionam, em média, em menos de 6 horas. E, quando recebemos um grande número de notificações válidas para um site, os nossos algoritmos de ranking de pesquisa despromovem esse site em futuras pesquisas.

Seguindo o dinheiro: Os sites maliciosos especializados na pirataria online são negócios comerciais, o que significa que uma maneira efetiva de os combater é cortar-lhe as fontes de receitas. Como líder global em publicidade online, a Google está empenhada em erradicar e retirar os sites maliciosos dos nossos serviços de publicidade. Desde 2012, a Google já bloqueou mais de 91.000 sites no AdSense por violarem as nossas políticas contra a infração dos direitos de autor, na grande maioria dos casos, detetados por sistemas proactivos do AdSense. Também estamos a trabalhar conjuntamente com outras empresas líderes em publicidade para elaborar as melhores práticas destinadas a elevar os padrões em toda a indústria de publicidade online, incluindo nos EUA, Reino Unido, França, Itália e Ásia.

A proteção e a promoção da criatividade online é uma prioridade para a Google. Continuamos empenhados em investir nos esforços necessários para lidar com a violação online dos direitos de autor, colaborando com os proprietários dos direitos de autor e protegendo os interesses dos nossos utilizadores”.

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.