Geekbench detecta que Meizu e OnePlus manipulam resultados de benchmarks

Pode ser uma das acusações mais graves dos últimos tempos: o conceituado Geekbench acusou OnePlus e Meizu de manipularem os resultados no benchmark, inflacionando as suas prestações.

Num acto semelhante ao que foi utilizado por alguns fabricantes automóveis, o OnePlus 3T e o Meizu Pro 6 Plus conseguem detectar quando estão a ser submetidos a um teste, correndo de modo acima do normal.

A OnePlus já confirmou que integrou um mecanismo segundo o qual a CPU corre mais depressa perante determinadas apps, idealmente jogos. O resultado líquido é mesmo que quando um benchmark é iniciado, o OnePlus 3T possui um comportamento que não é o seu quotidiano.

O problema foi detectado pelo editor do XDA Developers, que se apercebeu de comportamentos anómalos dos dois dispositivos, face a outros smartphones com o Snapdragon 821. Mais precisamente, a frequência nos núcleos do processador mantinha-se elevada, mesmo se não houvesse carga imposta no momento.

Em conjunto com os Primate Labs, o XDA Developers descobriu que o OnePlus 3T procurava benchmarks específicos e iniciava este “turbo” nos processadores. Com um teste criado de raíz que o OnePlus 3T não detectava, as duas equipas perceberam que havia uma diferença mínima na performance, mas grandes diferenças termais.

A OnePlus decidiu imediatamente retirar os benchmarks da opção de melhoria de performance em actualizações futuras, mas irá mantê-la para os jogos.

Entretanto, a Meizu ainda não reagiu à notícia.

Para cobertura completa do assunto e testes efectuados: XDA