A fonte das emissões destruidoras do Ozono foi confirmada… a China!


Por em

Nos dias que correm, é bastante raro encontrar notícias animadoras acerca do ambiente… O Protocolo de Montreal assinado em 1987 é a exceção à regra.

Para quem não sabe, este protocolo baniu o uso de químicos nefastos à camada de ozono!

Para ser mais específico, este acordo acabou com o uso de CFCs (Clorofluorocarbonetos) e produtos químicos relacionados, que no passado eram muito usados na produção de espuma isolante, e como solução refrigerante.

Quase 30 anos depois, a camada de ozono está a recuperar lentamente! No entanto, um estudo publicado no passado mês de Maio, na revista ‘Nature‘, colocou um travão nas celebrações!

Pois, apesar de os resultados serem positivos, se todos os países estivesse a cumprir o acordo, não haveria qualquer emissão se CFCs, o que infelizmente não é o caso!

Ozono

Baseado nestes dados, o estudo da ‘Nature’ prevê que a fonte destas misteriosas emissões venha da Ásia! Por isso, com estes resultados, a Agência de Investigação Ambiental (EIA) meteu as mãos na massa e foi investigar

Hoje, dia 9 de Julho, a EIA publicou um relatório com a resposta! Chegando à conclusão que pelo menos 18 empresas em 10 províncias continuam a usar CFC-11 (triclorofluorometano).

Estimando que a maioria destas emissões podem ser explicadas pelo o continuo uso de substâncias proibidas em território Chinês.

Estas empresas disseram à EIA, que continuam a usar o CFC-11, porque é um químico muito superior no fabrico de espuma isoladora. Que têm tido uma procura gigantesca, devido ao ‘boom’ da construção no país.

Além disto, o CFC-11 é extremamente barato e fácil de produzir, em comparação às alternativas legais.

Mas não é só a camada de Ozono

As más notícias não ficam por aqui! Além de destruírem a camada de Ozono, os CFCs e os seus substitutos legais (HFCs) promovem imenso o efeito de estufa! Cada molécula destes gases, tem milhares de vezes mais impacto do que o dióxido de carbono, ao reter o calor do sol e por consequência aquecendo o planeta.

A EIA estima que as emissões de gases CFC da china entre 2012 e 2022, se a situação continuar, equivaleria a 148.000 toneladas métricas! O que equivale a 702 milhões de toneladas de emissões CO2.

Em 2016, depois de vários anos de deliberações, os assinantes do protocolo de Montreal, adotaram também a ‘Emenda Kigali’. Que tem o objetivo de fazer com que os países eliminem a emissão de gases HFC, que apesar de não destruírem a camada de ozono, potenciam o efeito de estufa.

Em paralelo, é um acordo juridicamente vinculativo! O que quer dizer que as Nações Unidas podem investigar a China quanto ao uso destas substâncias… Obrigando o seu término bem como uma pesada multa por não cumprirem a legislação!

Via

Leia também

Ou veja mais notícias de Fora da Caixa

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Etiquetas
Anterior

Sistema de inteligência artificial aprende a conduzir em 20 minutos

Samsung Galaxy S10+ pode chegar com cinco câmaras

Seguinte