Fez uma encomenda online? Então, sabe como funciona a alfândega?

Compras Online

Em boa verdade, hoje em dia, os consumidores preferem cada vez mais, comprar produtos através do seu PC ou smartphone! Isto, em vez de irem para a confusão dos grandes centros comerciais.

Especialmente, quando falamos de aparelhos eletrónicos! Como os telemóveis, smartwatches, e outros tipos de gadgets.

Afinal de contas, é neste tipo de produtos, que normalmente aparecem com preços extremamente apelativos, vindos do continente Asiático

Em suma, as compras online são hoje em dia super populares! E o processo de compra, está também cada vez mais simples e cómodo. Afinal, muitas das vezes, basta um ou dois cliques, e temos o produto que tanto desejamos à porta de casa.

a alfândega, compras

Dito tudo isto, como mencionámos em cima, por vezes surge a oportunidade de comprar um produto além fronteiras! Seja pela sua escassez no nosso país, ou pelo seu preço num outro país a muitos kilometros de distância

Pois bem, e como deve saber, se este país for além da União Europeia… Então o processo deixa de ser assim tão simples. Visto que entra em jogo a tão afamada alfândega!

Algo que entra nos pesadelos dos maiores fãs de sites como Gearbest, Banggood, GeekBuying e eFox.

As taxas alfandegária são realmente um pesadelo… Por isso, vamos tentar falar sobre todos os seus detalhes, e até na melhor forma de proceder, dependendo do seu caso específico.

Mas apenas se for além da União Europeia!

Isto, porque uma das regras da UE, é a livre circulação de bens e produtos, entre os seus estados-membros!

Assim, não existe a necessidade de pagar qualquer tipo de taxa aduaneira, para receber ou enviar um produto entre estes estados

Entretanto, se as encomendas forem enviadas a partir de países não pertencentes à UE, então poderão ser sujeitas a uma verificação, para que lhes sejam aplicadas taxas, mediante alguns fatores.

No entanto, é preciso dizer que estas encomendas podem ou não ser sujeitas a esta verificação!

Aliás, muitas das vezes, é um caso de sorte, com o sistema a funcionar como uma filtragem aparentemente aleatória, onde a probabilidade de uma encomenda ser verificada difere de transportadora para transportadora, e até no seu peso e/ou volume.


Nota do Redator: Aqui tenho de salientar, que todas as encomendas da DHL, irão passar pela alfândega, e irão ser com quase toda a certeza retidas.

Leia o seguinte artigo para saber mais sobre a minha experiência com a empresa:


No entanto, nem todas as encomendas retidas, são susceptíveis a taxas alfandegárias! Ou seja, se o seu valor não for superior ao limite em vigor, o pacote irá continuar o seu caminho até ao destinatário, sem qualquer custo.

Taxas Alfandegárias – Que taxas são estas, e quanto é que irei pagar?

a alfândega

Curiosamente, não existe uma regra que dê para todos os casos. Depende do tipo de mercadorias, e da verificação que foi feita.

No entanto, temos de dizer que o valor das taxas resumem-se ao IVA + Taxas de Apresentação à Alfândega e ainda a taxa de Armazenagem. Podem também ser cobradas outras taxas, como a Taxa dos Direitos aplicáveis a Países Terceiros, Tráfego Postal, Imposto de Selo, entre outras.

Pode ser um exagero, mas na maioria dos casos, se a sua encomenda ficar retida na alfândega, conte com um valor acrescido de 30% sobre o valor global da encomenda. (Isto se for superior a 22€.) Se por acaso, a transportadora for a DHL, talvez seja boa ideia pensar nos 40/45%…

Como não pagar taxas, ou pagar um valor mais baixo??

Se a sua encomenda tiver um valor superior aos 22€, então não há muito a fazer, e irá com quase toda a certeza ter de pagar algum tipo de taxa ou taxinha.

Assim, é preferível que a encomenda seja enviada por correio normal, mesmo sendo bastante mais demorado, pois a probabilidade de ficar retida em alfândega, é bastante mais baixa.

Exemplos deste tipo de envios, são os clássicos EU Express, e Priority Line das lojas Chinesas referenciadas no início do artigo. Que apesar de não serem infalíveis, têm uma taxa de sucesso bastante elevada.

a alfândega

Tenho ainda de mencionar, que se for como eu, e recebe vários tipos de produtos para ‘Reviews’, ter uma nota a dizer que é um ‘Exemplar para análise, sem valor comercial’, é completamente igual ao litro! Não adianta rigorosamente nada, as taxas vão estar lá para pagar.

Portanto, se a encomenda ficar retida, irá ter de apresentar a documentação solicitada, que normalmente é a fatura de compra, ou qualquer outra prova de pagamento. Bem como uma qualquer prova da sua identidade.

Dito isto, não adianta tentar alterar a fatura, ou documento similar, para pagar taxas mais baixas… Visto que quem verifica este tipo de encomendas, sabe perfeitamente o valor comercial do produto. (Afinal de contas, o Google está disponível para todos.)

Então, e se for uma prenda ou um prémio?

Nessa caso, resta recorrer a uma declaração sob compromisso de honra, onde é explicado que a mercadoria não será para venda, e onde deverá ser declarado o valor do produto + as despesas de transporte.

Que poderá pedir a quem enviou o produto, ou poderá preencher e entregar na alfândega.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião, nos comentários em baixo