Wear OS

Infelizmente, um dos maiores problemas dos relógios baseados no Sistema Operativo Google Wear OS, é o seu hardware. Afinal de contas, em grande verdade, todos os smartwatches lançados depois de 2014, têm chegado ao mercado com hardware obsoleto.

É que caso não saiba, até o mais recente SoC Snapdragon Wear 3100, é baseado num design que data de 2013…

Google, pixel watch

No entanto, parece que a Qualcomm percebeu que existe dinheiro a ser ganho no mercado de wearables. (Provavelmente também existiram algumas pressões vindas da Google, que parece estar a apostar forte num smartwatch Pixel).



Por isso, a gigante dos micro-processadores começou a desenvolver o Wear 429, para equipar a próxima geração de relógios inteligentes.

Isto segundo novas informações do reputado site WinFuture, que curiosamente afirma que já existem duas plataformas em teste nos laboratórios da Qualcomm. Ou seja, já estão em fase de verificação de equipamento.

Assim, o novo processador denominado de Snapdragon Wear 2700 ou Wear 429, é no fundo um chip baseado no atual Snapdragon 429 que equipa smartphones como o Nokia 3.2.

E claro está, como o novo SoC é baseado baseado num design muito mais atual, temos várias atualizações significativas!



Primeiramente, podemos contar com 4 núcleos Cortex-A53 com suporte a instruções de 64-bit, e frequências bastante mais altas. (O Snapdragon 429 consegue chegar aos 2GHz na sua atual forma)

Parece que a quantidade de memória RAM também deverá aumentar!

Os atuais relógios Wear OS não só têm um SoC ‘velho’, como também sofrem de quantidade mínimas de memória RAM. Algo que deverá mudar com o novo esforço da Qualcomm. Visto que as plataformas de teste contam com um mínimo de 1GG de RAM, bem como 8 GB de memória interna. (Basicamente o dobro daquilo que encontramos hoje em dia no mercado.)

Similarmente, a autonomia também deverá melhorar

Talvez mais importante que o aumento de performance, é o aumento de autonomia que este novo chip irá trazer. Afinal, o Snapdragon Wear 429 irá ser baseado no processo de fabrico de 12nm, que é imensamente mais eficiente que o atual de 28nm, utilizado no Wear 3100.

Além disto, temos ainda suporte a Bluetooth 5.0, o que deverá aumentar ainda mais a poupança energética.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião, nos comentários em baixo!

Fonte