Cuidado! Estas aplicações estão a drenar a bateria do seu Mac!

Hoje em dia dependemos muito da tecnologia, quer se trate de um smartphone ou de um computador. No entanto, as baterias ainda continuam a ter algumas limitações. Assim temos de ter alguns cuidados para conseguirmos espremer ao máximo a autonomia dos nossos dispositivos. Dito isto, é preciso cuidado com algumas aplicações que estão a drenar a bateria do seu Mac. E ainda por cima são provavelmente as que utiliza todos os dias.

Cuidado! Estas aplicações estão a drenar a bateria do seu Mac!

Embora a degradação do hardware possa ser a principal explicação para a diminuição da longevidade da bateria, os verdadeiros culpados residem frequentemente no ecossistema de software. Desde processos em segundo plano que exigem uma quota excessiva de ciclos da CPU a aplicações que estão sempre a tentar sincronizar-se.

Dito isto, existem algumas aplicações que fazem com que a bateria desapareça mais rapidamente. Consegue adivinhar quais?

Chrome

O Google Chrome é um autêntico devorador de recursos. Sendo o browser mais utilizado no mundo, é muito provável que, se estiver num computador portátil neste momento, esteja a ler isto utilizando o Google Chrome. O problema é que este browser pode ser uma verdadeira sanguessuga para a vida útil da bateria de um MacBook.

Alerta vermelho para utilizadores do Chrome, chrome, aviso chrome, Google alerta Chrome

À medida que navega pelos separadores e janelas, a arquitetura multiprocessos do browser divide as tarefas em processos separados para melhorar a estabilidade e a segurança. No entanto, esta escolha arquitetónica pode consumir uma parte substancial da memória e dos ciclos de CPU do Mac, o que leva a um consumo acelerado da bateria.

Além disso, a tendência do Chrome para manter os separadores ativos em segundo plano pode agravar ainda mais o seu comportamento de consumo de energia. Cada separador aberto requer memória e capacidade de processamento, e o efeito cumulativo pode ser particularmente prejudicial para a duração da bateria. Mesmo que não esteja a utilizar ativamente determinados separadores, o Chrome pode continuar a atualizá-los resultando na utilização desnecessária de recursos.

Spotify

Esta popular aplicação de streaming de música, tal como a versão para Android, pode desempenhar um papel significativo no esgotamento da bateria do seu dispositivo mais rapidamente do que poderia prever.

O atrativo do Spotify reside na sua capacidade de fornecer um fluxo de música interminável, mas este fluxo tem um custo. A aplicação depende da recuperação constante de dados, o que se traduz numa atividade de rede consistente. Um processo que exige um envolvimento contínuo da CPU.

natal músicas

Além disso, a dependência do Spotify de conteúdos gráficos ricos, capas de álbuns e interfaces de utilizador dinâmicas pode sobrecarregar ainda mais a placa grática, aumentando as necessidades de energia da aplicação.

No entanto talvez o fator mais significativo para o estatuto do Spotify como consumidor furtivo de bateria seja a sua tendência para funcionar em segundo plano, mesmo quando a aplicação está minimizada ou não está a reproduzir música ativamente. Este comportamento permite a reprodução instantânea quando se volta à aplicação. No entanto, também pode traduzir-se numa utilização contínua de recursos, reduzindo a duração da bateria mesmo quando não está diretamente envolvido na aplicação.

Zoom

Na era das reuniões virtuais e colaborações remotas, o Zoom tornou-se um nome conhecido, permitindo ligações e interações perfeitas entre ecrãs. No entanto, a própria aplicação que facilita estas interações é um grande consumidor de energia.

zoom

A capacidade do Zoom para fornecer áudio e vídeo em tempo real através de diversos dispositivos é impressionante, mas esta proeza tem um custo. Os algoritmos sofisticados da aplicação para codificação, descodificação e transmissão de conteúdos multimédia requerem um fluxo de dados consistente, um processo que envolve continuamente o CPU do Mac. O resultado? Uma queda no desempenho da bateria que pode passar despercebida no meio de apresentações.

Além disso, as funcionalidades interativas do Zoom, incluindo fundos de vídeo e ferramentas de colaboração em tempo real, contribuem para uma maior utilização do hardware e para drenar a bateria do seu Mac.

Lançadores de jogos

Existem muitos lançadores de jogos atualmente em uso. Longe vão os dias em que o Steam era tudo o que era necessário para aceder a um determinado jogo. Agora existem muitos lançadores de jogos disponíveis, todos com o seu próprio atrativo. Por si só, o Steam já pode ser uma espécie de sanguessuga de bateria. Mas, quando combinado com a Epic Game Store, a Origin e outros os problemas podem surgir rapidamente.

drenar a bateria do Mac

Os lançadores de jogos são normalmente executados em segundo plano, mesmo quando não estão a ser utilizados ativamente. Esta operação contínua permite atualizações contínuas, gravações na nuvem e acesso rápido à sua coleção de jogos. No entanto, isto também envolve a execução contínua de processos que exigem ciclos de CPU e memória, o que se traduz num consumo de energia lento mas constante.

Outro fator a considerar é a tendência destes lançadores para arrancarem automaticamente no arranque. Embora esta funcionalidade garanta o acesso imediato à sua biblioteca de jogos, pode resultar em atividade de fundo prolongada, esgotando ainda mais a bateria do seu Mac, para além de potencialmente abrandar o tempo de arranque do seu computador.

Discord

No que diz respeito a jogos no Mac, o Discord estabeleceu-se como a plataforma de referência para conversas de texto, voz e vídeo entre jogadores e vários grupos de interesse. Mas o Discord pode ser um íman de recursos se não for controlado.

discord

As capacidades de comunicação em tempo real do Discord, juntamente com as funcionalidades de chamadas de voz e vídeo que consomem muitos recursos, exigem a recuperação e transmissão consistentes de dados. Esta atividade de rede contínua coloca uma carga substancial na sua CPU, sobrecarregando-a mesmo durante conversas aparentemente casuais.

Leitor multimédia VLC

Um leitor multimédia que sobrecarrega a bateria do Mac não é, por si só, surpreendente. Afinal de contas, a reprodução de vídeo não é exatamente uma tarefa leve. No entanto, o VLC Media Player tem uma carga particularmente mais pesada na bateria do seu sistema do que os seus homólogos.

drenar a bateria do Mac

A força do VLC reside na sua capacidade de reproduzir uma vasta gama de ficheiros de áudio e vídeo sem problemas. Mor muito espantoso que isso seja, requer um poder de processamento significativo. À medida que o VLC descodifica e processa diferentes formatos de multimédia, impõe exigências constantes ao processador do seu dispositivo, o que leva a um consumo mais rápido da bateria.

Outro aspeto a considerar é a capacidade do VLC para transcodificar e converter ficheiros multimédia em tempo real. Embora esta funcionalidade ofereça uma conveniência inigualável, o processo de conversão envolve uma utilização extensiva da CPU e da memória, o que se traduz numa sobrecarga da vida útil da bateria do Mac.

Assim tenha cuidado com estas aplicações que acabam por drenar a bateria do seu Mac.

Siga a Leak no Google Notícias e não perca todas as informações mais importantes.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.

Artigos relacionados