Criminoso rouba 30 milhões de moeda virtual

O Bithumb suspendeu por breves instantes os serviços de depósito e levantamento após um grupo de criminosos ter roubado mais de 30 milhões de dólares em moeda virtual.

A empresa que tem sede em Seul, revelou este facto através de várias mensagens no Twitter. Em paralelo confirmou que as moedas roubadas seriam cobertas pelas próprias reservas do Bithum. Com a casa roubada, esta empresa transferiu todos os ativos dos utilizadores para um carteira diferente.

moeda virtual

Os ativos transferidos foram rapidamente colocados numa denominada cold wallet, ou carteira fria, um método utilizado para o armazenamento a longo prazo de uma grande quantidade de dinheiro / moeda encriptada e que está apenas ligada à Internet quando se efetua uma transação –  para diminuir a probabilidade de mais fundos serem roubados.

Neste momento, este já é o terceiro hack ao Bithumb – o maior caso de roubo de criptomoedas na Coréia do Sul – e o segundo maior incidente a ter atingido uma troca de criptomoedas após a invasão do Coinrail a 10 de junho.

Após a notícia da invasão da Bithumb, o valor da criptomoeda sofreu uma grande queda nos mercados antes de se recuperar rapidamente no final do dia.

Entretanto a polícia de Seul iniciou uma investigação acerca do roubo, incluindo a recolha de dados dos computadores da empresa.

Os recentes ataques no mercado das moedas encriptadas levaram o público a solicitar que o governo implementasse regulamentações mais rígidas.

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Subscreva a newsletter Leak e tenha acesso diário aos principais destaques, ofertas e descontos nos parceiros Leak. Clique aqui

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Patricia Fonseca
Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Leia também