O casamento entre a Intel e a AMD nunca teve grande esperança de vida… Afinal de contas, a Intel está a trabalhar arduamente no desenvolvimento de uma arquitetura gráfica a sério. Por isso, os processadores Kaby Lake-G com CPU Intel e GPU AMD há muito que têm os seus dias contados.

Aliás, muitos foram os especialistas que ficaram a pensar o que poderia vir a seguir, depois do anúncio desta parceria. Pois bem, o que aconteceu foi o ‘roubo’ de várias personalidades da AMD por parte da Intel, para apostar a sério no mundo das placas gráficas.

Muito curiosamente, o ‘chefe’ do projeto Intel Xe, é nada mais nada menos que Raja Koduri, o antigo responsável pelo departamento AMD Radeon Tech.



Pode não estar relacionado com isto, mas esforço gráfico Intel Xe tem um staff cheio de personalidades ex-AMD Radeon! Pessoas que foram contratadas depois deste ‘casamento’

Apesar de tudo isto, os processadores Kaby Lake-G até prometiam imenso. Afinal, tínhamos unidades de processamento Intel que na altura eram o melhor que o mercado tinha para oferecer, com a performance gráfica da AMD que apesar de ficar atrás da NVIDIA na performance pura e dura, é muito melhor que a sua rival na implementação de um CPU e GPU num único pacote. (Como podemos ver pelos APUs AMD, que dão vida a vários Ryzen Mobile/Desktop, PS4, Xbox One e também vão ser a base das novas consolas PS5 e Xbox Scarlet)

Intel Kaby Lake-G

Contudo, num aviso bastante pequeno mas recente, na página dos Intel Kaby Lake-G. Podemos ler que as encomendas deste produto poderão ser feitas até dia 31 de Janeiro de 2020, com as últimas unidades a serem entregues até dia 31 de Julho de 2020. Para justificar, a rival da AMD diz que a procura passou para outras gamas Intel. O que claro está irá resultar no cancelamento da produção deste produto.

Ainda assim, temos de dizer que apesar de interessante, este processador nunca fui extremamente popular. Afinal, apesar de ter uma performance bastante interessante a nível gráfico e computacional, a verdade é que o seu design é vastamente diferente dos restantes produtos. Ou seja, era necessário criar uma solução de raiz para a integração deste produto… O que as parceiras nunca acharam muita piada.

Além disto, a Intel está a investir forte e feio nas suas próprias soluções gráficas, por isso, também não faria muito sentido continuar de mão dada com a AMD. Especialmente quando andou a aliciar vários atuais e ex empregados.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Fonte