Os conselhos para emagrecimento de um Personal Trainer… De borla!

Emagrecimento – Num mundo onde o excesso de peso impera, cada vez são mais as pessoas que procuram emagrecer… Dito isto, a oferta combinada e descontrolada de comida processada e sedentarismo, são dois aliados nefastos para um corpo obeso e doente.

Similarmente, quando o consumo começa a exceder o dispêndio energético, o sinuoso percurso para o excesso de peso e para a obesidade, já teve início.

No fundo, grande parte da população mundial tem excesso de peso e infelizmente estes dados tendem a aumentar ano após ano.

Na verdade, em Portugal, 60% das pessoas são obesas e estamos no top 5 da Europa no que a obesidade infantil diz respeito!

Sendo profissional na área da saúde, nomeadamente na área do treino, medicina do exercício e nutrição. Sempre senti a necessidade de aprender com os melhores formadores nacionais e internacionais, para proporcionar aos meus clientes o melhor acompanhamento possível sempre com base na saúde.

Em síntese, neste tema específico sobre emagrecimento, irei abordá-lo na primeira pessoa, e explicar o que aconteceu na prática com alguns dos meus clientes.

1. Alimentação

emagrecimento

Primordialmente, a alimentação! É o fator mais importante no emagrecimento, afinal de contas, nós somos o que comemos!

Por isso, se o fizermos de forma correta, o nosso corpo sente que tem as ferramentas necessárias para iniciar o processo de evolução. Ademais, sou responsável pela dieta de todos os meus clientes, e, com o passar do tempo, percebi o que melhor resultava para obter consistência.

Com base na minha experiência, aconselho em optar pela proteína vegetal, visto que do ponto visto fisiológico não ocorre inflamação e o nosso corpo recebe proteína no seu estado mais puro.

Em relação aos hidratos de carbono… Eles não são o inimigo!

Não devemos temer uma dieta rica em bons hidratos de carbono, fibras, proteínas ou gorduras… Então, o importante, é perceber que o problema não é o nutriente, é a qualidade e consistência da sua alimentação. É fundamental aprender a alimentar-se bem, com qualidade e sustentabilidade.

Nenhum corpo evolui se não existir uma mudança de saúde primeiro.

A foto acima com a Adélia Condeixa, representa uma evolução de 20 kg perdidos(!). Esta minha cliente também era hipertensa, pré-diabética e com dores constantes nas articulações. Nos dias de hoje, para além de ser extremamente ativa, reverteu todas as suas patologias.

Our food should be our medicine. Our medicine should be our food. But to eat when you are sick is to feed your sickness.Hippocrates

2. Musculação

emagrecimento

 

Todos aqueles que procuram emagrecer têm, obrigatoriamente, que realizar treinos de musculação.

Para além de já existirem vários estudos que comprovam que a musculação é mais funcional para o emagrecimento do que o cardio. (Como os de Banz et al. (2003), Broeder et al. (1997), Dolezal & Potteiger (1998))

Fui percebendo que mantendo o padrão da musculação como base, os resultados com os meus clientes continuavam a aparecer, ao contrário do cardio, que os fazia estagnar!

Um dos grandes problemas do cardio é confundir perda de peso com emagrecimento… São coisas diferentes!

A perda de peso está directamente relacionado com a diminuição da massa corporal, já o emagrecimento corresponde somente à redução da quantidade de gordura corporal.

Em suma, na maioria das vezes as pessoas perdem massa muscular e pouca gordura, ou seja, o que interessa preservar e/ou aumentar está a diminuir, e a massa gorda continua praticamente igual.

É o que acontece quando as pessoas só realizam exercícios cardiovasculares, pela simples razão de não existir contração muscular!

A musculação, ao contrário do treino cardiovascular, também faz com que o corpo queime calorias nos dias seguintes ao treino, fenómeno designado por “EPOC – Excess Post-Exercise Oxygen Consumption

A foto acima com a Alexandra Batista, representa uma evolução de 22kg perdidos(!). Esta minha cliente também era hipertensa, diabética tipo II e com dores constantes nas articulações. Nos dias de hoje, para além de ser extremamente ativa, reverteu todas as suas patologias.

3. Intensidade

emagrecimento

A intensidade é uma das variáveis mais importantes no processo de emagrecimento.

Primeiramente, é necessário perceber que o nosso corpo fisiologicamente faz de tudo para manter massa gorda.

Pela simples razão da necessidade de se preparar para regimes de escassez! O nosso corpo nunca sabe quando o vamos alimentar novamente, armazenando o máximo de gordura que conseguir, daí a intensidade do treino ser um dos fatores fundamentais no que a emagrecimento diz respeito.

Treinos em circuito são uma excelente solução, de preferência optar por exercícios com contracção muscular e realizá-los seguidamente, sem descanso, e sempre de acordo com a sua capacidade física – o chamado Treino Intervalado de Alta Intensidade.

Mas atenção, intensidade não é carga!

Treinar em intensidade máxima é fazer o que conseguir com um peso que se sinta confortável. Nunca fique muito tempo num ginásio, treinos de 30/40 minutos chegam perfeitamente, desde que haja intensidade.

Dito isto, mais vale 20 minutos a subir e descer escadas do que uma hora de caminhada.

If you train harder, you train Less“ – Arthur Jones

A foto acima com o Zé Luís, representa uma evolução de 20kg perdidos(!). Este meu cliente também era hipertenso e pré diabético. Nos dias de hoje, para além de ser extremamente ativo, reverteu todas as suas patologias.

4. Descanso

emagrecimento

Entenda-se por descanso, dormir, ou seja, estar deitado no sofá a ver televisão não conta!

É fundamental dormir pelo menos 7 a 8 horas para o corpo recuperar da melhor forma possível.


  • 9 Razões pelas quais dormir bem é importante para a sua saúde! – Clique aqui

Primordialmente, por mais que o treino e a dieta estejam a ser cumpridos a 100%… Não existe evolução se o corpo não descansar o suficiente!

A foto acima com o Fábio Melo, serve de exemplo perfeito.

Este meu cliente quando estava em processo de emagrecimento estagnou no peso durante duas semanas. Posteriormente, transmitiu-me que não tinha descansado o suficiente nos últimos 10 dias.

Disse ao meu cliente que na próxima semana não iria treinar. Apenas lhe pedi para cumprir a dieta e descansar. Quando voltou aos treinos na semana seguinte, a balança marcava menos 2kg! Isto porque deu ao seu corpo o tempo suficiente para recuperar.

Assim, treinar todos os dias com máxima intensidade não é solução!

É fundamental perceber que um corpo sujeito a um estímulo intenso constante entra num síndrome denominado de Overtraining. Ou seja, muito treino e pouco descanso. Apenas um músculo totalmente recuperado, continua a responder e a crescer.

Em síntese, o Fábio já conta com 25kg perdidos.

…training stimulates growth, but only full recovery permits that growth to actually occur.

Para finalizar, se sentes dificuldades em emagrecer, contacta-me nas redes sociais, aqui, ou nos comentários em baixo. Juntos vamos atingir os teus objetivos!


O que achou do artigo? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários abaixo!

Pedro Cantador
Sempre tive uma paixão enorme pelo treino, praticar exercício físico e alimentar-me de forma correta são prioridades indispensáveis na minha vida . Comecei por me licenciar em Ciências do Desporto, continuando a minha formação académica na área da saúde cardiovascular, nutrição e medicina do exercício. Hoje em dia trabalho como preparador físico e acompanho dezenas de clientes com os mais diversos objetivos e patologias.