Como é que um portátil consegue ter as mesmas specs de um PC?

Muito resumidamente… Não consegue! Sim, é verdade que temos portáteis com 16Gb ou 32GB de memória RAM no mercado. Temos portáteis com 1TB, 2TB ou mais Teras de armazenamento SSD NMVe, e até temos portáteis com processadores com 8 núcleos e 16 threads com placas gráficas baseadas na mesma exata arquitetura que temos a dar cartas no mercado a acompanhar.

No entanto, enquanto os SSDs são exatamente iguais, visto que o formato suportado é também ele o mesmo (M.2 ou SATA III). Na grande maioria dos componentes, as coisas são um pouco diferentes. (Aliás, alguns portáteis até trazem o SSD soldado, para poupar espaço!)



Como é que um portátil consegue ter as mesmas specs de um PC?

Xiaomi 144Hz, portatil, modern

Antes de mais nada, é preciso ter em conta duas ideias muito simples. Primeiramente, um PC Desktop foi pensado para ser uma máquina fixa e poderosa, que também é altamente personalizável.

Por outro lado, um Portátil tem um espaço livre disponível muito limitado para montagem de componentes. Além disso, também tem de lidar com soluções de refrigeração menos potentes, devido à mesma limitação de espaço mencionada em cima.

Em suma, os componentes que dão vida a um portátil têm de ser pequenos, têm de ser fresquinhos, e por isso, têm de ser limitados.


Nota do Redator: Claro que existem portáteis no mercado baseados nas mesmas exatas peças que podemos encontrar num PC topo de gama. Mas essas máquinas não são bem portáteis, são mais transportáveis.


É exatamente por isso que começa a ser extremamente comum ver chips de memória RAM e chips de memória NAND Flash (SSD) soldados na placa mãe. Isto faz com que seja mais fácil criar o produto, poupa espaço (já viu o tamanho dos módulos de memória RAM de um PC desktop?). Mas claro, tem a desvantagem de acabar por retirar opções ao consumidor, visto que é simplesmente impossível trocar o SSD por outro maior, ou meter mais memória RAM.

Além de tudo isto, os processadores e GPUs são também seriamente limitados para serem montados num PC portátil. Ora veja-se o caso das recentes RTX 30 mobile, que apesar de terem o mesmo exato nome das placas gráficas dedicadas para PCs Destkop, não oferecem a mesma performance. Aliás, devido aos constrangimentos de espaço e de cooling, em vez das 3 versões anunciadas pela NVIDIA, existem 28 placas RTX 30 diferentes no mundo dos portáteis! (Todas elas com performance diferente).

No mundo dos processadores a coisa já é um pouco diferente, visto que tanto a Intel como a AMD têm gamas focadas apenas e só neste mercado, com um TDP mais baixo para não arruinar a performance térmica da máquina, ou arruinar a autonomia da bateria. Afinal de contas, enquanto já temos processadores topo de gama nos 125W de TDP, sendo até capazes de chegar aos 250W (como o novo i9-11900K), no mundo dos portáteis vemos CPUs com TDPs de 25W, 35W ou 45W.

Conclusão

Muito resumidamente, o mundo dos portáteis evolui imenso, e até já encontramos máquinas muito interessantes para trabalhar ou jogar. No entanto, se dá valor a performance pura e dura, a resposta continua a ser um PC Desktop custom.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Siga a Leak no Google Notícias e não perca todas as informações mais importantes.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, fui sempre aquele membro da família que servia como técnico ou reparador de tudo e alguma coisa (de borla). Agora tenho acesso a tudo o que é novo e incrível neste mundo 'tech'. Valeu a pena!

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.

Artigos relacionados