Todos os anos são geradas mais de 2,7 milhões de toneladas de plástico (policarbonatos) para criar utensílios domésticos comuns, tais como CDs ou smartphones. Nestes policarbonatos encontram-se compostos como o Bisfenol A ou BPA, um químico que, em 2008, levou retalhistas em todo o mundo a retirar do mercado produtos como biberões, devido aos potenciais efeitos nefastos no cérebro. A IBM Research acaba de anunciar que os seus investigadores do laboratório Almaden nos EUA descobriram um novo processo químico que, num único passo, converte policarbonatos em plástico seguro para ser utilizado em equipamentos médicos, de purificação de água e em fibra ótica.

Durante a investigação, os cientistas da IBM adicionaram um reagente de fluoreto, uma base (semelhante ao fermento em pó) e calor a CDs antigos para produzir um novo plástico com resistência térmica e química superior à da substância original. Quando o pó é reconstruído em novas formas, consegue-se impedir o processo de decomposição que provoca a libertação de BPA.

“Os policarbonatos são plásticos vulgarmente usados, especialmente em produtos eletrónicos de consumo na forma de telas de LED, smartphones e Blu-rays, bem como lentes oculares, utensílios de cozinha e equipamentos domésticos”, afirmou Gavin O. Jones, Ph.D., dos laboratórios de Almaden da IBM Research. “Temos agora à disposição uma nova forma de reciclagem para minimizar o impacto que esta substância tem no ambiente e na nossa saúde.”

“Além de estarmos a prevenir que estes plásticos entrem em aterros, estamos, simultaneamente, a transformar a substância num novo tipo de plástico, mais seguro e forte o suficiente para purificar a nossa água e para a produção de equipamentos médicos”, defendeu Jeanette Garcia, Ph D., dos laboratórios de Almaden da IBM Research. “É uma vitória ambiental em muitas frentes.”

Neste estudo, os investigadores combinaram modelagem preditiva com trabalho de laboratório experimental para fazer a descoberta. A aprendizagem a partir destes avanços na investigação é também usada para alimentar os sistemas cognitivos e ajudar a acelerar o processo de descoberta de novos materiais.

O IBM Watson Discovery Advisor é o exemplo de um sistema cognitivo disponível para ajudar, por exemplo, investigadores na área farmacológica a encontrar novas moléculas para potenciais medicamentos ou a alargar a experiência a novas áreas de materiais.

O trabalho de investigação completo, One-step Conversion of Polycarbonates into Value-added Polyaryl ether sulfones, foi publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences dos EUA.

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.