Carros ultrapassam as velocidades impostas por lei. Porquê?

Como deve saber, existem limites de velocidade claros, e bem implementados, em quase todas as regiões do planeta. Porém, todo e qualquer veículo lançado no mercado, por muito pouca potência que tenha, tem (quase) sempre a capacidade de circular a velocidades superiores às máximas definidas por lei. Porquê?

Tendo em conta o número de acidentes, e de vítimas mortais nas estradas, não seria mais simples limitar todos os veículos à velocidade máxima imposta por cada mercado, o que em Portugal significaria 120Km/h?

Vamos tentar perceber as razões pelas quais isto não acontece.

Carros podem ultrapassar as velocidades impostas por lei. Porquê?

Portanto, a grande maioria dos automóveis, ou motociclos, estão mecanicamente equipados para ultrapassarem o limite de velocidade imposto por lei, seja numa localidade, numa nacional, ou até numa autoestrada. Existe mais que uma razão, mas a principal passa pelo facto de ser mais simples ter carros rápidos, e condutores capazes de cumprir a lei.

- Advertisement -

Com tantos acidentes, feridos, mortos, perseguições, etc… Não faria sentido arranjar um sistema capaz de limitar a velocidade máxima de cada veículo. Visto que estamos a falar de limites impostos por lei. Sim, cumprir os 50Km/h, 90Km/h ou 120Km/h não é uma simples sugestão, é mesmo lei.

1. Um carro incapaz de ultrapassar os limites de velocidade é perigoso.

audi

Pois bem, como deve saber, apesar dos limites de velocidade, nem todos os veículos circulam à mesma velocidade. É possível ultrapassar os limites de velocidade em ocasiões excecionais, como é o exemplo de uma ultrapassagem a um camião, ou numa marcha de urgência. Além disso, é também mais seguro ter um automóvel ágil e rápido, em vez de um limitado, de forma a que se consiga desviar a situações de risco, se isso for realmente necessário.

Aliás, segundo vários especialistas, não são as velocidades altas que são perigosas. Especialmente nos tempos que correm, em que os automóveis estão muito mais estáveis, e estão quase sempre equipados com vários tecnologias capazes de aumentar o nível de segurança em estrada.

De facto, ter um automóvel a circular de forma lenta, numa autoestrada, é muito mais perigoso que um automóvel a circular em excesso de velocidade.

2. Estradas diferentes, têm limites de velocidade diferentes. Regiões diferentes, também têm leis diferentes.

O mercado é global! Quando uma fabricante desenvolve, e começa a produzir um novo modelo automóvel, esse mesmo modelo pode vir para Portugal, para Espanha, para França, para Marrocos, para a Suíça, para a Alemanha, etc… Tudo mercados diferentes, com leis também elas diferentes.

Por isso, até aqui, tem sido impraticável colocar um limite único para todos os automóveis. Especialmente porque, mesmo que se limite a velocidade a 120Km/h, nada impede o condutor de ultrapassar os limites noutras estradas com limites diferentes.

Porém, esta é uma questão curiosa, porque hoje em dia, qualquer automóvel moderno já é capaz de ler os sinais de cada estrada, e por isso mesmo, sabe qual é a velocidade máxima permitida por lei em cada ponto. Sendo exatamente devido a isto que já existe uma tecnologia capaz de limitar a velocidade, de qualquer veículo, a esse mesmo limite. Ainda assim, essa tecnologia pode ser ultrapassada pelo input do utilizador, devido a razões de segurança.

3. Sabia que a grande maioria dos veículos elétricos chegam ao mercado com a sua velocidade limitada? No entanto, a questão aqui não é a segurança.

A grande maioria dos veículos elétricos, normalmente à exceção dos modelos desportivos, têm a sua velocidade limitada de fábrica. Por exemplo, no caso dos EVs do grupo VAG (Volkswagen), o limite costuma estar nos 158Km/h.

Mas, como disse em cima, a limitação aqui não se deve ao perigo da velocidade, mas sim à conservação da bateria. (Caso não saiba, os limites de velocidade em Portugal, e noutros países, não se deve ao potencial de perigo, mas sim ao consumo dos automóveis. Mais concretamente o limite de 120Km/h provém de um calculo que tem em conta as nossas reservas de combustível, tendo sido fixado nos anos 80.)

4. Há dinheiro a ser feito com os limites de velocidade!

Acredite ou não, apesar de toda esta conversa ser extremamente interessante, a verdade é que o governo vai buscar muito dinheiro às multas, ano após ano. Por isso, o facto de os limites de velocidade serem meio uma obrigação, mas ao mesmo tempo uma opção, acaba por ser uma fonte de dinheiro muito interessante.

Faz ideia da quantidade de multas que são passadas todos os anos? Nem queira saber. Porque vai ficar assustado.

Conclusão

É um assunto muito complexo! Lá pelos carros conseguirem ultrapassar as velocidades máximas definidas por lei, não significa que tenham de o fazer. Por vezes é aceitável, outras vezes é punível. Ter carros todos à mesma velocidade, em vias com muito fluxo automóvel, pode ser negativo, porque fomenta uma maior interação entre veículos motorizados, o que pode levar a mais acidentes, a mais caos. (Não é só a velocidade que causa acidentes!)

Entretanto clique aqui para seguir a Leak no Google Notícias e ficar a par de todas as informações mais importantes. Pode também subscrever aqui a nossa Newsletter e receber as notícias no seu e-mail.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, fui sempre aquele membro da família que servia como técnico ou reparador de tudo e alguma coisa (de borla). Agora tenho acesso a tudo o que é novo e incrível neste mundo 'tech'. Valeu a pena!

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.