apple

Apple pediu ao governo Norte Americano para não expandir as tarifas! – Na semana passada, ficámos a saber que a Apple estava a planear retirar pelo menos 30% da sua força de produção da China. No fundo, para minimizar o impacto financeiro das últimas subidas de tarifas, pensadas para atingir a China, no decorrer desta interminável guerra comercial.

No entanto, sem fim à vista, a Apple decidiu apelar ao governo Americano… Argumentando, que a nova proposta poderá muito bem ter um impacto demasiado severo na contribuição económica da gigante tecnológica.

Portanto, numa carta aberta enviada a Robert Lightizer, a Apple diz que as tarifas propostas pelo governo Norte Americano, irão ter impacto em quase toda a sua gama de produtos

apple, tarifas!

Aliás, o impacto é tão severo, que até os componentes pensados para a reparação, irão sofrer.

Caso não saiba, o governo liderado por Donald Trump, está neste momento a planear impor uma tarifa de 25%. Em cima de toda e qualquer categoria de produtos importados da China.

Onde claro está, temos de incluir smartphones, computadores, TVs, smartwatches, etc…

É que até agora, a Apple apenas teve de lidar com tarifas em alguns acessórios, como carregadores e cabos. Mas se esta proposta for em frente, então quase toda a gama de produtos irá ser alvo, e por isso, irá sofrer. (iPhone, iPad, mac, Apple TV, Apple Watch, etc…)

A carta começa curiosamente por mencionar, que a Apple é uma das empresas que mais emprego oferece nos Estados Unidos. E que além disto, contribuiu com cerca de 350 mil milhões de dólares, para a economia do país, nos últimos 5 anos.

Dito isto, a empresa avisa que se as tarifas forem realmente para a frente, esta contribuição irá descer significativamente.

Similarmente, esta situação irá também ter um impacto severo na capacidade da Apple, de competir com outras marcas a nível global! Visto que empresas fora dos Estados Unidos, não têm de arcar com esta responsabilidade.

Assim, a Apple apela ao governo de Donald Trump para que não leve as tarifas para a frente. Além da Apple, também temos a Microsoft, Intel e Qualcomm, entre outras, a assinar por baixo.

Em suma, ainda vamos ouvir falar muito sobre este assunto! Numa guerra comercial, que começa a ganhar contornos ridículos. E que pelos vistos, pode ter alvos até dentro das fronteiras dos Estados Unidos.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião, nos comentários em baixo.