Galaxy S10

Análise Samsung Galaxy S10+: O Galaxy S10, é o smartphone do momento, não há como negar esta afirmação. Afinal de contas, já ouvimos falar deste aparelho, desde 2017, ainda antes do lançamento do ‘velhinho’ Galaxy S8 e S8+.

Aliás, foi muito provavelmente, o smartphone mais ‘leaked’ de sempre! Fugas de informação que sugeriam uma autêntica ‘besta’ da performance e inovação, metendo todos os rivais no bolso…

Mas será que tudo isto aconteceu? Vamos tentar perceber!



Nota do Redator – Em boa verdade, fui uma das vozes mais críticas, quando a Samsung lançou o Galaxy S9 há coisa de um ano. Achei o telemóvel mais do mesmo, com muito pouco a oferecer em termos de performance, autonomia e design.

Isto com um preço, que simplesmente não fazia qualquer tipo de sentido, quando o design era uma cópia do topo de gama do ano anterior.

Aliás, na minha análise detalhada, chamei o telemóvel de Galaxy S8.1 ou Galaxy S8s, porque era exatamente isso que o aparelho era! E para mim, uma empresa com o potencial da Samsung, não pode nunca, lançar um telemóvel destes.

Assim, como já deve ter percebido, quando recebi o S10+ para análise, estava ansioso para perceber afinal, se a Samsung estava a sério no mercado, ou se iria entregar o trono à Huawei que aproveitou o ano ‘S’ da rival, para se aproximar da primeira posição do mercado.


Análise Samsung Galaxy S10 – Design

Análise Samsung Galaxy S10

Depois de um ano de 2018 para esquecer, a Samsung decidiu mudar a sua estratégia numa série de áreas. E sem dúvida, que uma delas foi o design.

A família de smartphones Galaxy S10, chega ao mercado com uma imagem renovada, muito graças à implementação do ecrã ‘Infinity-O’. Que pelo menos para mim, é uma lufada de ar fresco no mundo dos smartphones.

Afinal, temos uma experiência de imersão brutal, sem mecanismos de câmeras frontais ‘pop-up’, ou designs deslizantes… Que apesar de serem inovações engraçadas, não são nem de perto nem de longe, o futuro da indústria.

Análise Samsung Galaxy S10
Huawei Mate 20 Pro lado a lado com o Samsung Galaxy S10+

Mas esquecendo um pouco o ecrã, é possível reparar em vários pontos, que o Galaxy S10 partilha com os seus antecessores. Afinal, à semelhança do Galaxy S8/S9, temos um corpo de alumínio, ensanduichado com vidro à frente e atrás.

Na traseira, o novo módulo de três câmeras sai um pouco do corpo do smartphone. Mas nada de especial, e facilmente corrigido com uma qualquer capa de protecção.

Logo abaixo das câmeras, temos uma nova adição, o Samsung Wireless PowerShare, que apesar de invisível, parece funcionar de maneira mais eficiente, em comparação à solução que a Huawei implementou no Mate 20 Pro.

Ainda assim, continua a ser um ‘gimmick’, em que a verdadeira utilidade irá ser carregar os novos Galaxy Buds, ou no limite, o seu Galaxy Watch.

Mas de volta ao design… O que mais impressiona no smartphone, é o seu peso e tamanho!

Com as medidas de 157.6 x 74.1 x 7.8mm e apenas 175g, o novo smartphone ‘Flagship’ da Samsung, consegue impressionar na qualidade de construção. Ao mesmo tempo que oferece um ‘pacote’ confortável, mantendo ainda o clássico ‘feeling’ Premium.

Apesar de ser um smartphone grande, é possível utilizá-lo com apenas uma mão. Isto, graças à clássica curvatura ‘Edge’, que volta a marcar presença, tanto na frente como na traseira do smartphone. E que faz com que o telemóvel pareça ser mais fino, do que aquilo que realmente é.

Um sensor de impressão digital invisível, mas super rápido!

Análise Samsung Galaxy S10
Samsung Galaxy S10 + Galaxy Watch: Um casamento feito no céu

Uma das grandes novidades no design do Galaxy S10 e S10+, é o novo sensor ultra-sónico, escondido debaixo do ecrã.

Apesar de termos aqui uma implementação bem conseguida… Existem algumas arestas para limar. Como já noticiámos no passado, os novos smartphones já vêm com uma película de plástico instalada, e não é por acaso.

É que se por acaso gosta de películas de vidro temperado, está com azar, o sensor vai ter imensas dificuldades em funcionar. E apesar da película pré-instalada ser porreira, não deixa de ser de plástico, e por isso, vai durar pouco tempo em condições ‘aceitáveis’.

Ainda assim, temos de dizer, que o sensor é realmente muito rápido, e ao contrário da minha experiência com o sensor do Huawei Mate 20 Pro, a taxa de sucesso encontra-se acima dos 90%. Aliás, por vezes, basta dar apenas um pequeno toque no ecrã, e o telemóvel imediatamente desbloqueia e entra na interface.

Som

Mais um ponto que impressiona bastante nos novos Galaxy S10. O som além de ser bastante claro, com um bass forte, é também muito alto. (Tendo em conta que é um smartphone) É verdade que a coluna de baixo, continua a estar numa posição complicada, para consumo de conteúdo multimédia, mas o volume impressiona e não é pouco.

Análise Samsung Galaxy S10 – Performance

Podia estar aqui a dizer que o telemóvel é super rápido, que é… Mas não acho que isto seja graças ao novo Exynos 9820, que por sinal, até fica um pouco atrás do Snapdragon 855, utilizado na versão Norte Americana do Galaxy S10.

O que realmente é de louvar neste novo smartphone da Samsung, é o software!

Longe vão os tempos em que o TouchWiz era um autêntico aspirador de recursos, e que os smartphones da Samsung apesar de estarem cheios de funcionalidades, se arrastavam para conseguir abrir aplicações, ou falhavam em conseguir alguma fluidez entre ecrãs.

Por isso, temos de salientar, que o novo Samsung OneUI, veio resolver um dos maiores defeitos da gama Galaxy S! E provavelmente, um dos maiores problemas das ‘skins’ Android

Portanto, assim que peguei no Galaxy S10, notei a simplicidade dos novos menus, mas acima de tudo, a fluidez em como mudava de aplicação, ou navegava pela interface. Foi sem dúvida aqui, que a Samsung me conquistou… Afinal, para que serve ter as melhores especificações, se depois o telemóvel se arrasta?

Mas pronto, vamos falar um pouco das especificações técnicas do Galaxy S10+

A Samsung decidiu e muito bem acabar com os 6GB de RAM no modelo ‘Base’!

E por isso, vai encontrar 8GB de memória, no modelo mais barato do Galaxy S10 e S10+. O que não só mete o S10 imediatamente à frente de todos os rivais, nesta vertente, como garante também alguma segurança para o futuro. (Para ter noção, o Galaxy S9 ‘Base’, vinha com 4GB de memória RAM)

Além disto, podemos encontrar um SoC Exynos 9820, 128GB de armazenamento, bem como o ecrã AMOLED de 6.4” com a resolução de Wide QuadHD+. (Escusado será dizer, que o ecrã continua a ser o melhor que podemos encontrar no mundo Android! Tal e qual, como a Samsung nos tem habituado nos últimos anos)

Uma séria inovação aqui, é a inclusão da nova norma Wi-Fi 6, mas também irá precisar de um Router com suporte à tecnologia, para a aproveitar ao máximo.

Em suma, em termos de performance, o Galaxy S10/S10+, é provavelmente uma das experiências mais fluídas e satisfatórias do mundo Android.

Um aparelho, que até já ameaça chegar ao mesmo nível de fluidez do iPhone XS. Que no fundo, é feito por uma empresa que controla todos os elementos do smartphone, enquanto a Samsung tem de lidar com um Sistema Operativo de fora.

Análise Samsung Galaxy S10 – Câmeras

Câmeras Traseiras

Samsung Galaxy S10 com 12GB

Os novos Galaxy S10 e Galaxy S10+, vêm com o mesmo exato sistema de câmeras traseiras. Ao contrário do que aconteceu no ano passado.

Assim, podemos encontrar um trio de lentes 12MP+12MP+12MP, em que podemos facilmente perceber, que a Samsung quer que os seus utilizadores, tirem fotos de qualquer ângulo.

Exemplo de cada lente em baixo:

Claro que no nosso mercado, o Galaxy S10 e S10+, vão ter de rivalizar diretamente com o Huawei Mate 20 Pro, que também tem 3 câmeras na sua traseira.

Pois bem, tentei fazer uma ‘experiência’ no Instagram da Leak.pt, onde meti 3 comparações, entre o Mate 20 Pro e o S10+… Curiosamente, o Mate ganhou as 3!

No entanto, não acho que o Mate 20 Pro seja melhor que o Galaxy S10, no sentido da palavra. Eles são no fundo, dois smartphones diferentes, com focos diferentes na fotografia. Enquanto a Huawei dá uma grande importância ao processamento após a captura… A Samsung parece tentar reproduzir fotos mais reais, com cores mais fidedignas.

Mas, na minha opinião, em fotos com pouca luz, a Huawei é ainda imbatível neste campo. Ficando apenas atrás da Google, e do seu Pixel 3.

Câmeras Frontais

Na frente, encontramos 2 câmeras, uma primária com 10MP, e uma secundária de 8MP, que irá apenas servir para melhorar a profundidade no modo ‘Retrato’.

Exemplo de foto da câmera frontal:

Análise Samsung Galaxy S10

Análise Samsung Galaxy S10 – Bateria

O Galaxy S10+ conta com uma bateria de 4100mAh, que em termos de capacidade, fica atrás do seu rival direto no mundo Android, Huawei Mate 20 Pro (4200mAh).

Ainda assim, mais uma vez, a nova estratégia de otimização da Samsung, volta a mostrar a sua face!

Eu ando com um Mate 20 Pro no bolso, desde o dia 16 de Outubro de 2018. E como devem ter percebido na minha análise detalhada, é um autêntico monstro da autonomia…

Pois bem, o Galaxy S10+ não fica nada atrás! Aliás, dependendo da situação, até consegue oferecer ainda mais autonomia que o supra-sumo da gigante Chinesa.

Conclusão

Para finalizar, o Galaxy S10 é sem dúvida uma excelente máquina! Merecedora de ser o telemóvel que vem festejar o 10º aniversário da gama de telemóveis Galaxy S.

É assim, um smartphone que volta a meter a Samsung no topo da cadeia alimentar. E que provavelmente, irá mantê-la por lá durante muito tempo.

Saiba mais sobre o Samsung Galaxy S10 aqui. Entretanto, se estiver interessado, pode comprar na PhoneHouse, aqui.