Desequilíbrio no pH das células nervosas pode contribuir para a Alzheimer!

A doença de Alzheimer caracteriza-se por ser um quadro demencial com perda progressiva das capacidades intelectuais. Dito isto, dificuldades de aprendizagem e memorização de factos recentes são alguns dos sintomas.

A doença está associada à formação de depósitos de proteínas chamados placas neuríticas. Tal acontece devido à clivagem anormal da proteína PAP formando a proteína β-amilóide.

Em suma, esta última é tóxica para o Sistema Nervoso Central, provocando assim uma reacção inflamatória!

pH, Doença, estudo, Alzheimer

Infelizmente o organismo não contém mecanismos de dissolução destas placas e, como tal, a formação destas aumenta com a idade!

A recente pesquisa feita pela ‘The Johns Hopkins University School of Medicine‘ sugere que a desregulação do pH celular promove a deposição da β-amilóide e consequente formação de placas neuríticas!


  • No entanto, este estudo foi feito através de um modelo animal.


As evidências demonstram que os ‘astrócitos’- células nervosas, são responsáveis pela “limpeza” das protéinas β-amilóide. A modificação do pH destas células altera a deposição proteica… Em suma, a alteração da progressão da doença!

Similarmente, foi descrito pela revista ‘Proceedings of National Academy of Sciences‘ a administração de um inibidor da ‘histona desacetilase‘ (HDAC) em ratos. Este fármaco potenciou uma modificação do pH, assim como melhorou a capacidade de depuração de beta amilóide.

O resultado foi a inversão de sintomas nesses animais!

Os inibidores de HDAC são aprovados pela FDA em certos tipos de cancro sanguíneo. Contudo, devido à dificuldade de atravessar a estrutura que atua para proteger o Sistema Nervoso Central de substâncias químicas (barreira hematoencefálica), não está indicado para pessoas que sofrem de Alzheimer.

O próximo passo é ‘in vitro‘!

Caso o fármaco tenha os mesmos resultados nos astrócitos de pacientes com Alzheimer, projecta-se modificar o fármaco com intuito de atravessar a “barreira cerebral” previamente mencionada!

pH, Doença, estudo, Alzheimer

Até o momento, não há cura nem medicamentos que possam prevenir ou reverter os sintomas da doença de Alzheimer.

No momento em que a doença de Alzheimer é diagnosticada, a maioria dos danos neurológicos estão presentes, sendo por isso pouco provável  reverter a progressão da doença” – Rajini Rao, Ph.D., Professor de fisiologia da Universidade Johns Hopkins.

Deixo-vos aqui o vídeo do simpósio onde a neurologista aborda o assunto!

Fonte 1, 2

Joana Morais
Desde que me conheço a área da saúde sempre me fascinou, em especial a área da fitoterapia e nutrição. Muitas vezes brincando que noutra vida fui "feiticeira" porque sou apaixonada por tudo o que têm propriedades curativas. Finalizado o mestrado integrado em Ciências Farmacêuticas, sinto-me útil a ajudar.

Mais deste autor

Relacionadas

Publicidadespot_img

Últimos artigos

Google TV vai dar canais premium de borla mas há um requisito!

O Google TV está realmente fantástico. Tem uma interface bem conseguida e que nos dá um rápido acesso a tudo aquilo que procuramos. No...

Netflix processada por causa de uma das séries mais vistas!

Tendo em conta que existem montes de séries na Netflix que foram realmente capazes de conquistar meio mundo, a verdade é que podem também...

Atenção para quem vai jogar FIFA 22! Existem 3 novos ícones!

Tal como acontece todos anos, parece que foram apresentados novos jogadores que de certa forma merecem ficar marcados no mundo do futebol. Sendo que...

Não perca nenhuma informação de última hora!

Registe-ne na Newsletter Leak e receba diariamente todas as informações no seu email!