Afinal as NVIDIA Turing estão a vender mais que as NVIDIA Pascal?

NVIDIA

Afinal as NVIDIA Turing estão a vender mais que as NVIDIA Pascal? – A gigante das placas gráficas, NVIDIA. Teve o seu ‘Dia do Investidor’ há muito pouco tempo, um evento que teve umas declarações bastante interessantes… Em que talvez a mais marcante foi mesmo a de que a empresa vendeu muito mais placas gráficas Turing, do que vendeu placas Pascal, nas primeiras 8 semanas, no mercado.

Claro que isto pode ser nada mais que uma jogada, para recuperar a confiança dos investidor, após um fim de 2018 e início de 2019 para esquecer… Mas ainda assim, não deixa de ser uma declaração bem curiosa.



Caso não saiba, 90% dos consumidores NVIDIA, estão abaixo do nível de performance, oferecido pela muito recente GTX 1660 Ti de ~300€

NVIDIA Turing

As primeiras placas gráficas Pascal, foram lançadas há 3 anos, durante o mês de Maio de 2016. Foi sem dúvida, uma arquitetura revolucionária, que catapultou a NVIDIA para uma liderança isolada do mercado.

Afinal de contas, superou toda e qualquer expectativa existente, e muito curiosamente, ainda hoje, a AMD tem dificuldades em lançar uma placa ao nível da GTX 1080.

Em boa verdade, a arquitetura ‘Turing’, deveria ser a continuação de todo este sucesso. Mas as coisas não correram bem para a NVIDIA. Muito graças ao ‘crash’ do mercado de mining, bem como do preço de lançamento das novas RTX 20.

Contudo, apesar de todos os indícios sugerirem um completo fail das placas RTX 20… A NVIDIA afirma que a nova arquitetura está a ser um sucesso ainda maior que a velhinha Pascal.

O que no fundo, até faz algum sentido!

Afinal, em 2016, ainda não tínhamos a loucura do mining a esgotar placas, a torto e a direito.

Portanto, o que a NVIDIA quer dizer, é que se retirarmos o impacto do mining de moedas virtuais, do mercado. As placas Turing estão a safar-se cerca de 45% melhor, que as velhinhas Pascal.

Outra declaração bastante interessante, já mencionada em cima, é o facto da maioria dos jogadores, ter ao seu serviço, uma placa gráfica menos potente que a nova GTX 1660 Ti

Assim, a NVIDIA está a posicionar esta placa, como a rainha da gama média! Sendo capaz de oferecer jogabilidade de qualidade, a um preço bem aliciante.

Uma tentativa, de conseguir convencer os 48% de consumidores NVIDIA que ainda têm placas gráficas anteriores às GTX 10. (50% têm placas Pascal, enquanto apenas 2% têm placas Turing)

Em suma, a NVIDIA está novamente a voltar aos básicos, apostando novamente na gama média. Especialmente, na GTX 1660 Ti, uma placa bastante poderosa, mas que não custa os olhos da cara.

Além disto, temos também o facto, de que a gigante das GPUs, está agora a tentar levar o afamado Ray Tracing, às placas mais antigas… Será que temos novamente, uma NVIDIA amiga do consumidor? Hmm…


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião, nos comentários em baixo!