Actualização gratuita para Windows 10 acaba Sexta-feira: porque a deve agarrar


Por em

O novo sistema operativo Windows teve os seus bons e maus momentos. O autor faz parte do programa Insider há mais de um ano e não esconde que por vezes ficou sem teclado ou com um simples pisa papel, onde um Lumia costumava estar.

Mas isto são meandros normais de quem lida com versões adiantadas, precisamente para garantir que, ao consumidor, tudo chega direito.

O Windows 10 recebeu uma reputação má, mas a verdade é que quando acabar a oferta gratuita, vai preferir apanhar o comboio.

Quem não deve actualizar para o Windows 10?

Vamos tirar esta parte do caminho, certo?

Se planeia comprar um computador nos próximos meses, talvez a actualização seja mais por curiosidade, que por necessidade.

É diferente para as empresas com software específico. Muito pode não correr no novo sistema operativo e convém consultar os serviços informáticos, mas este é um passo que há muito deveria ter sido iniciado.

Porque deve actualizar para o Windows 10

Razão 1 – é gratuito

Dado não é geralmente o melhor, mas a Microsoft vê o sistema operativo como a porta de entrada para todo o ecossistema. Por isso interessa um grande número de utilizadores que permitam homogeneização do software e das operações da empresa. Ser gratuito não é, por isso, estranho.

Mas gratuito significa também que teremos acesso a actualizações para os próximos anos. Afinal este é o último Windows. Em vez de um Windows 11, a Microsoft continuará a evoluir o Windows 10 com novas funcionalidades para o futuro previsível.

Isto significa novas funcionalidades e capacidades, além dos patches para correção de bugs. Por comparação, o Windows 7 já só recebe actualizações de segurança. Este é um velho cão que já não aprende truques novos.

Por isso, está a garantir para si um conjunto de funcionalidades novas e grandes actualizações sem gastar um tostão.

Razão 2 – O Windows 10 é mais seguro

O Windows 10 é fundamentalmente mais seguro que os Windows anteriores. É uma questão de arquitectura intrínseca, com uma aposta forte na integração de medidas activas de segurança e verificação de dados.

Mas é igualmente o suporte para autenticação biométrica, que torna programas e computadores utilizáveis apenas pela pessoa com a íris certa.

Razão 3 – Performance mais rápida

O Windows 10 é mais fluido e leve que versões anteriores. Temos o OS instalado em computadores com uns bons seis anos que passaram de inúteis a perfeitamente utilizáveis.

Isto acontece porque o Windows 10 foi amplamente optimizado para tirar o máximo dos equipamentos existentes. O seu objectivo é substituir dois sistemas operativos completos com um grande grau de suporte para máquinas antigas, e por isso é talvez o Windows mais rápido que podemos instalar num computador limitado.

E a bateria também é gerida de melhor modo, pelo que notará um aumento mais ou menos apreciável da sua duração.

Razão 4 – polivalência

O que é a polivalência no Windows 10? Bom, são as apps universais, por exemplo. O acesso à Microsoft Store significa o acesso ampliado a inúmeras apps de lazer e produtividade, numa filosofia semelhante ao Android.

A novidade talvez seja menor para os utilizadores de Windows 8.1, mas será ainda notável com o passar do tempo. Se por acaso tiver um Windows Phone ou um tablet Windows, a interconectividade entre os dispositivos será assombrosa.

Mais e mais programadores estão a trabalhar em apps para Windows 10, o caminho inverso dos restantes sistemas operativos. Aquilo que hoje lhe faz falta, amanhã pode estar na loja e não custar nada.

Razão 5 – Cortana

Sejamos francos, a Cortana é extremamente convincente na hora de actualizar o Windows. A assistente é transversal ao sistema operativo e permite gerir calendários, tarefas ou eventos externos sem sairmos do nosso programa do momento.

Podemos fazer algo tão simples quanto pedir para tocar uma música específica, ou agendar um alerta para um intervalo no trabalho, mas podemos igualmente fazer uma busca momentânea que seja importante para o que estamos a fazer no momento.

Utilizar o Office 2016, no Windows 10, com integração da Cortana, será uma experiência de organização sem paralelo em sistemas anteriores.

Razão 6 – facilidade de utilização

Como já andamos com o SO às costas há um ano, as coisas se calhar são mais fáceis para nós, mas a impressão é mesmo que o Windows 10 é de uma utilização realmente fácil. Podemos facilmente configurar a opção iniciar, ou optar por uma vista mais móvel, se realmente gostarmos do Windows 8.1.

O suporte por toque é excelente e podemos reorganizar as janelas muito facilmente, além de ser mais intuitivo vermos quais estão abertas sem ficar com a barra de tarefas muito pesada. E se por acaso utilizar desktops múltiplas, basta um clique para alternar entre elas.

Em suma, tudo o que fazíamos bem no Windows 7 e 8.1 fazemos melhor no 10. Isto pode ser uma questão de hábito, mas depois de termos migrado um Lumia, um Win 7 e um 8.1 para a nova plataforma, respiramos de alívio com a homogeneidade e facilidade de utilização.

Razão 7 – um sistema operativo evolutivo

Se instalar o Windows 10, tão cedo não precisa instalar um novo sistema operativo. A Microsoft não deve fazer um novo, claro, mas a forma como construiu o Windows 10 significa que pode acrescentar-lhe funcionalidades novas e alterações profundas que anteriormente precisariam de apps ou programas terceiros.

Pior, precisariam de formação.

Neste último ano, o Windows mudou bastante. Ganhou o Ink, por exemplo, ou o Edge e a integração da Cortana. Cada incremento foi feito através de actualizações sem grande peso, e esse será o futuro previsível.

Os mitos e os medos

O Windows 10 é difícil de instalar?

Na nossa opinião, não. É o sistema mais fácil de instalar de que nos lembramos. Se o seu computador é compatível, basta ir ao ícone da actualização e é o sistema que recolhe os dados e actualiza, sem muito feedback do utilizador.

Se optarmos pela actualização simples, tudo estará no lugar adequado, e nada será perdido. Em uma hora estará tudo completo, sem necessidade de reinstalar programas.

E quando corre mal?

Não vamos dizer que a actualização para o Windows 10 é infalível. Por diversos motivos, algo pode correr mal. Mas com um longo processo de testes, existe já uma grande base de ajuda online que nos permite encontrar soluções.

A maior vantagem do Windows 10 é a facilidade com que podemos voltar atrás e reinstalar o sistema anterior. Caso algo corra mal, ou o SO não nos agrade. Só não podemos apagar o directório Windows.old.

Ameaças à privacidade? 

Existem, mas são sobrevalorizadas. Muito do que se ouviu foi mal explicado, por exemplo a partilha de passwords de Internet entre conhecidos. A opção tem de estar activa, é tão simples quanto isso.

A Cortana também significa que muitos dados podem ficar do lado da Microsoft, mas se isto é um problema agora, devíamos primeiro olhar para os dados que recolhem a Siri, Google Now, ou uma boa parte das apps que temos instaladas no smartphone.

O mesmo é válido para os dados recolhidos por Windows 7 ou as alternativas Linux. Em defesa do Windows 10, muito do que partilhamos pode ser configurado para não ser partilhado.

Conclusão

Se utiliza o Windows actualmente e o seu computador é compatível com o Windows 10, então actualizar é quase obrigatório.

Haverá sempre histórias de terror, como sempre houve, mas a capacidade do Windows 10 para acelerar e dar nova vida a um computador é verdadeiramente interessante.

Lembre-se que, se se arrepender, pode sempre fazer um rollback para a versão anterior.

Leia também

Ou veja mais notícias de Tutoriais

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Anterior

Huawei MediaPad M2 chega a Portugal

OUKITEL U7 Plus: sensor de impressões digitais a preço da chuva

Seguinte