Abertura e Profundidade de Campo – Uma introdução ao mágico ƒ

9727
0
Share:
Abertura (Aperture)

Se já compraram uma máquina fotográfica, objetiva ou mesmo um telemóvel recente devem ter reparado naquele pequeno ƒ seguido de um número que se encontra junto da lente.

Se este valor é um factor algo óbvio para um amante de fotografia para a maioria das pessoas não o é. E acaba por ser um factor chave na compra de um aparelho fotográfico.

Este valor refere a Abertura da lente, ou Aperture em inglês, numa notação em que quanto menor o valor, maior a abertura. Pode parecer um pouco estranho, tem a ver com a forma como é calculado, e que para o utilizador tem pouca relevância.

O que é a Abertura (Aperture)

Basicamente a abertura é a quantidade de luz que a lente permite que incida junto do sensor. Ou seja, quanto maior a abertura, mais luz irá embater directamente.

Isto tem dois efeitos. Ao permitir a entrada de mais luz será necessário menos tempo de exposição para a fotografia ficar perfeita. Isto é desde logo benéfico pois ajuda e muito a que não haja tremores indesejados a estragar a mesma.

Por outro lado, irá diminuir significativamente a Profundidade de Campo.

A Profundidade de Campo (Depth of Field)

Quando menor é a abertura a profundidade de campo é maior. Mas isto acaba por ser difícil de explicar apenas por si.

Isto é uma imagem com uma grande profundidade de campo. Se reparem bem toda a imagem parece estar focada de forma mais ou menos uniforme.

The Glowing Hedges by Daniel F. on 500px.com

The Glowing Hedges by Daniel F. on 500px.com

Por outro lado, esta é uma imagem tirada com uma grande abertura, e com uma profundidade de campo bem menor.

Touchable colors by Sergey Bosov on 500px.com

Touchable colors by Sergey Bosov on 500px.com

Como tal podemos reparar que existe uma zona extremamente bem focada, neste caso a mão da frente, enquanto que tudo o resto está mais ou menos desfocado. Este efeito, que longe de ser um factor indesejado acaba por ser um excelente efeito criativo, é denominado de Bokeh.

Ou neste caso, em que apenas o corrimão à frente está com o foco.

Blue hour magic by Richard Heersmink on 500px.com

Blue hour magic by Richard Heersmink on 500px.com

Reparem nas seguintes imagens. Ambas foram tiradas por mim usando uma Canon G9X, Na primeira temos uma abertura de ƒ2.0 e na segunda ƒ11.0,

Reparam nas diferenças? A profundidade de campo na primeira é muito menor que na segunda. Na figura da frente a varinha que tem na mão já se encontra desfocada. E a figura que está ao fundo esta desfocada quase por completo.

Na da segunda imagem, com uma abertura muito menor, podemos ver que as três primeiras figuras se encontram focadas, e que mesmo a figura ao fundo está perceptível.

As desvantagens, não artísticas, de usar pequenas aberturas

A escolha artística de usar uma ou outra abertura, recorrendo ou não a lentes diferentes, é sempre algo subjectivo. No entanto usar aberturas mais pequenas tem algumas desvantagens.

Ao entrar menos luz de uma vez no sensor este tem de estar mais exposto ou mais sensível.

No caso de aumentar a exposição passamos a ter o problema do movimento dos sujeitos da fotografia. Ou mesmo da mão que segura a camera no caso desta não estar fixa a um tripé ou semelhante. E nestes casos os estabilizadores ópticos ajudam mas não fazem milagres.

Outra forma, ou uma forma complementar, é aumentar a sensibilidade do sensor, aquele valor ISO, mas que pode ter como efeito indesejado alguma perda de definição, e aquele aspecto granulado que todos conhecemos da fotografia nocturna.

Diferenças para a questão nos telemóveis

Nos telemóveis a questão acaba por ser diferente. A óptica associada à desfocagem e focagem usando as técnicas acima passam por variar a distância da lente ao sensor. Como estas num telemóvel estão a uma distância ínfima e fixas acaba por ser uma não questão.

No entanto podemos dizer, sem dizer nenhuma barbaridade, que quando maior for a abertura numa lente, ou conjunto de lentes num telemóvel, aquele mágico ƒ, melhor. E neste momento o rei é o LG V30 com uma abertura de ƒ1.6, que consegue capturar mais 25% de luz que o seu antecessor LG V20 que tinha uma abertura de ƒ1.8.

A camera com melhor abertura dos dois big boys do momento, o Samsung Galaxy Note 8 e iPhone X, colocam-se a ƒ1.7 e ƒ1.8 respectivamente. Além da abertura o tamanho do sensor é relevante. E ainda falta a informação oficial da Apple desse dado, mas é apontado como ligeiramente maior do que o do Note 8.

No entanto conseguem ter aquele belo efeito Bokeh em ambos, isto porque a utilização de uma segunda camera e poderoso software por trás consegue fazer o mesmo efeito. No entanto será sempre um processo digital e não apenas óptico como numa camera tradicional.

Share:

Dê a sua opinião