A tecnologia NVIDIA DLSS tem várias limitações que desconhecíamos

NVIDIA RTX

Como deve saber, o polémico jogo Metro Exodus acabou de ser lançado, com suporte à tecnologia NVIDIA RTX e DLSS. Além disso, Battlefield V, que já tinha suporte a RTX, tem também agora suporte à tecnologia DLSS, que faz uso dos núcleos Tensor da arquitetura Turing, para aumentar substancialmente a performance em jogo.

É verdade que o DLSS aumenta a performance, é possível verificar isso, tanto no Metro Exodus, como no Battlefield V… Contudo, parece que a funcionalidade é um pouco limitada, visto que não pode ser usada em todas as resoluções, e necessita de, quase sempre, ter o RTX ligado.

DLSS

NVIDIA GeForce RTX – Curiosamente, o DLSS tem algumas limitações que desconhecíamos!

Afinal de contas, não é apenas ligar e aproveitar um aumento de performance. Tudo depende da placa gráfica RTX, bem como a resolução utilizada no momento.

Por exemplo, no Metro Exodus, utilizadores da RTX 2060, não consegue usar DLSS na resolução 4K, mas talvez mais importante e curioso que isso, os utilizadores da RTX 2080 e RTX 2080 Ti, não podem usar RTX e DLSS na resolução 1080p… Que no fundo, é um dos combos mais interessantes, para conseguir aproveitar os muitos monitores de 144Hz do mercado.

Aliás, no Battlefield V, se tiver uma RTX 2080 Ti, não pode ser ligar o RTX e o DLSS na resolução de 1440p

A NVIDIA já veio a público tentar explicar a situação, dizendo que a o DLSS é mais eficiente, quando a placa gráfica está a trabalhar perto da sua capacidade máxima. Por isso, é que o DLSS precisa do RTX ligado, para aumentar a carga no GPU, e posteriormente utilizar o DLSS.

No fundo, isto explica o porquê da RTX 2080 Ti não suportar DLSS nas resoluções mais baixas… Mas isto está inegavelmente, muito mal explicado!

A tecnologia DLSS, ao fim ao cabo, funciona de frame a frame. Ou seja, a arquitetura ‘Turing’ é baseada num GPU com núcleos Shader para gaming, núcleos Tensor para computação/IA, e finalmente, núcleos Ray Tracing, para o bonito mas ainda muito pobre RTX.

DLSS

Dito isto, esta tecnologia trabalha maioritariamente com os núcleos Tensor. Aliás, quanto maior o número de FPS, maior é o ‘load’ neste núcleos de processamento. 

Portanto, como cada placa gráfica RTX, tem um número de núcleos diferente… O número de frames que podem ser processados, por cada unidade de tempo, é diferente. Assim, o porquê de existir tanta limitação na funcionalidade, deve passar por aqui.

Em suma, a NVIDIA quer garantir, que os núcleos Tensor nunca irão atrasar a performance das suas placas em jogo.


Ademais, o que pensa sobre isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo

Fonte