A Queda e Regresso da Nokia ao mercado de smartphones

A Queda e Regresso da Nokia – Quando o iPhone e posteriormente os smartphones Android entraram no mercado… Tudo mudou na indústria dos telemóveis! As antigas fabricantes mais dominantes, como a Nokia e BlackBerry, começaram a ficar para trás, não conseguindo inovar, ou repensar os seus produtos a tempo de apanhar o comboio.

A Nokia, que era a gigante a vencer na altura, rapidamente se viu num período de estagnação e posteriormente de queda! Não conseguindo manter a sua posição dominadora, acabando por ser comprada pela Microsoft, que na altura viu uma grande oportunidade de entrar no mercado, com o seu próprio Sistema Operativo Windows Mobile.

Então… Como é que agora vemos tantos smartphones Nokia com Sistema Operativo Android?

A história é bastante interessante, com um misto de aquisições, más escolhas e negócios de licenciamento… Vamos ver o que afinal aconteceu!

Queda e Regresso da Nokia – Quem cai, levanta-se!

Para perceber o regresso da Nokia, temos de perceber como é que a empresa ‘caiu’! E assim, vendeu o seu departamento mobile. Dito isto, um bom ponto de partida, é o ano de 2010, quando Stephen Elop foi apontado como CEO da Nokia.

Antes disto, Elop era o ‘chefe’ da divisão de negócios da Microsoft, e era responsável por projetos como o Microsoft Office.

Nesta altura, o primeiro iPhone já tinha sido lançado há três anos, e o primeiro Android há dois anos. No entanto, a Nokia continuava a apostar no Sistema Operativo Symbian, que continuava a dominar o mercado com uma quota de 37%… Curiosamente, a Nokia até estava a preparar um novo SO, para tomar o lugar do Symbian, de seu nome MeeGo!

Mas em 2011, Stephen Elop enviou o agora afamado memo ‘Burning Platform’.

Numa carta com quase 1300 palavras, o então CEO da Nokia, comparou o SO Symbian a uma plataforma de queima de óleo! Afirmando que a empresa necessitava de desistir deste o mais depressa possível, para conseguir sobreviver.

Além disto, Elop ainda partilhou a sua desilusão com o Symbian e MeeGo, dizendo que “O primeiro iPhone foi lançado em 2007, e nós ainda não temos um produto que chegue aos calcanhares da sua experiência de utilização.

Aqui pode ler um excerto da carta:

“A batalha de aparelhos, passou agora a ser uma guerra de ecossistemas! Onde não só temos de incluir o hardware, mas também o software de cada aparelho. Ou seja, os programadores, aplicações, ecommerce, anúncios, pesquisa, aplicações sociais, serviços baseados na localização, etc… Os nossos competidores não nos estão a roubar quota de mercado com os seus aparelhos, mas sim com os seus ecossistemas.

Vamos ter de decidir, se construímos um ecossistema de raíz, ou nos juntamos a um já existente.”

Para finalizar, Elop mencionou que a Nokia iria anunciar uma nova estratégia no dia 11 de Fevereiro… Foi nesta data que a empresa anunciou uma parceria com a Microsoft.

Queda e Regresso da Nokia – O telemóvel Windows

Com esta nova parceria, a Nokia meteu toda a sua confiança no Sistema Operativo Windows Phone! Assim, o SO MeeGo ficou em segundo plano, chegando ao mercado apenas pela mão do Nokia N9. Em paralelo, o último telemóvel Symbian foi o Nokia 808 em 2012.

Elop veio a público dizer, que a Nokia quis usar o Sistema Operativo da Microsoft, para se diferenciar dos restantes rivais. Pois bem, o primeiro Nokia Windows Phone foi o Lumia 800, lançado em Novembro de 2011.

Enquanto as vendas deste e de outros aparelhos similares foram boas no seu lançamento, a concorrência do iPhone e dos smartphones Android era cada vez mais uma problema para a Nokia.

Por isso, quando a gama Lumia começou a ter resultados aquém do esperado, a Nokia começou a ficar muito perto da bancarrota.

Finalmente, em Setembro de 2013, a Nokia anunciou que iria vender a sua divisão mobile à Microsoft! Como parte do acordo, o CEO Stephen Elop, iria voltar à sua antiga empresa.

Interessantemente, antes da venda ser oficializada em Abril de 2014… A Nokia anunciou uma linha de smartphones Android, denominada de Nokia X! Mas esta foi rapidamente ‘morta’ pela Microsoft.

Queda e Regresso da Nokia – Licenciamentos e a HMD Global

Devido ao acordo com a Microsoft, a Nokia já não podia vender smartphones, utilizando a sua própria marca! (Pelo menos até ao fim de 2016)

Mas isto não parou a Nokia de ir atrás de outros segmentos de mercado… E assim, alguns dias depois da venda, começou o desenvolvimento do tablet Nokia N1.

Nokia N1

Em Novembro de 2014, Ramzi Haidamus (presidente da Nokia), explicou que a empresa iria começar a licenciar a Marca ‘Nokia’ a outros fabricantes.

No dia seguinte, o tablet Android Nokia N1 foi anunciado, com design Nokia, mas fabricado pela Foxconn.

O N1 foi lançado em Janeiro de 2015, mas até ao fim do ano, não houve qualquer anúncio, acerca de novos lançamentos ou produtos em desenvolvimento… Então, em 2016, a Microsoft decidiu vender o negócios de ‘feature phones’ à FIH Mobile e HMD Global.

Ao mesmo tempo, a Nokia anunciou uma parceria com a HMD Global, fazendo desta a única fabricante com permissão da Nokia para usar a sua marca em smartphones.

Assim, o primeiro aparelho Nokia ‘by HMD’ foi o Nokia 150, um telemóvel básico de 26$. Posteriormente, em Janeiro de 2017, o primeiro telemóvel Nokia foi lançado, o Nokia 6. Na MWC desse ano, a HMD Global anunciou ainda o Nokia 5, Nokia 3 e um novo Nokia 3310.

Queda e Regresso da Nokia – A ‘Verdadeira’ Nokia

Se leu o artigo até aqui, já deve ter percebido que os telemóveis Nokia… Não são bem Nokias ‘Verdadeiros’, mas sim produtos da HMD Global que usam o nome da antiga fabricante.

Afinal de contas, a antiga divisão mobile da Nokia, ainda faz parte da Microsoft… (Apesar desta já ter desistido deste mercado)

No entanto, na base da HMD, encontramos vários veteranos Nokia, e curiosamente, também tem sede na Finlândia!


O que pensam sobre isto? Partilhem connosco a sua opinião nos comentários em baixo!